REVISTA BICICLETA - Trabalho voluntário
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 78

Leia

Revista
Bicicleta



Notícias

Trabalho voluntário

por Claudia Franco

375 visualizações

Trabalho voluntário
Foto: Divulgação

Ser voluntário é doar seu tempo, trabalho e talento, de maneira espontânea e não remunerada, para causas de interesse social e comunitário, melhorando a vida das pessoas. Atualmente com a vida corrida dos grandes centros doar seu tempo para fazer um trabalho voluntário não é algo tão comum ainda mais se você for utilizar o único período do ano que você tem para descansar, suas férias. Dedicar o seu período de férias para ajudar outras pessoas é uma atitude mais que nobre, é ter um espírito muito elevado, muito desprendimento e amor ao próximo.

Foi isto que a aluna da escola de bicicleta Ciclofemini fez. Cida Campos, gerente de trade market, dedicou seus dias de férias para trabalhar com crianças carentes no Camboja. Leia a respeito de sua experiência.

Ciclofemini: Cida nos conte como surgiu a ideia de fazer um trabalho voluntário fora do Brasil.

Cida Campos: Sempre fui apaixonada por viagens, sejam para estudar, intercâmbio, turismo ou até mesmo trabalhar.

Este ano, queria fazer algo diferente, que tivesse uma conexão maior com as pessoas do país que escolhi para visitar. Fiz vários contatos com diversas Ongs, desde as que trabalham com reflorestamento na Índia a plantação de morango, mas quase todas solicitavam pelo menos 3 meses de permanência, o que seria impossível para mim, pois só dispunha do meu período de férias. Depois de procurar muito consegui que a CCHP - The Cambodian Children's House of Peace me aceitasse por um período menor.

Ciclofemini: E qual é o foco da CCHP? Cida Campos: Na CCHP moram atualmente crianças e adolescentes, que viviam longe da cidade, em situações precárias, sem condições de estudos. Geralmente aceitam uma criança por família que permanece na instituição até o momento de ingressar na universidade. Elas estudam de tudo, inclusive inglês. Há uma agenda diária, que contempla afazeres, estudos, meditação, esportes, etc. Eles só saem da OnG após encontrarem um bom emprego. Ciclofemini: Que atividade você realizou na CCHP?

Cida Campos: Ministrei aulas de inglês para crianças e adolescentes.

Fiquei com duas turmas: uma de adolescentes a partir de 13 anos e a outra que ainda estava aprendendo as primeiras palavras. Com a turma de adolescentes que já se comunicava bem em inglês, trabalhei vários temas. Abordei seus sonhos, as profissões que poderiam estudar, projetos que poderiam desenvolver, etc. Percebi que ainda tinham uma expectativa muito baixa de vida, auto estima baixa e certa dificuldade em criar laços. Mas aos poucos, fui vencendo essas dificuldades e criamos uma conexão muito forte, senti um amor grande emanando naquelas pessoinhas. Motivei-os a mostrar seus talentos, a reconhecer seus méritos.

Lágrimas vieram na despedida. A outra turminha ainda estava aprendendo, sabia soletrar bem o alfabeto, o que foi uma surpresa. As atividades foram mais lúdicas, porém com mais dificuldade de comunicação, pois os pequenos não compreendiam bem o idioma. Recebi muitos mimos, com meu nome e como deles, como musiquinhas e outros mimos. Foi muito gratificante, principalmente para quem não é professor. Consegui realizar o trabalho e descobri tanto amor e em tanta troca.

Ciclofemini: Ficamos sabendo que você usou seu aprendizado que teve na escola de bicicleta Ciclofemini e pedalou pela cidade. Fale a respeito disto.

Cida Campos: É verdade. Minha outra grande alegria foi poder me deslocar pela cidade e pelo parque pedalando. Alugava diariamente uma bicicleta para me deslocar. Foi uma sensação muito grande de liberdade além do quê ao longo dos dias criei muita familiaridade com a cidade, descobrindo a cada dia novos caminhos. Essa viagem foi especialmente gratificante, pelo trabalho voluntário e pela liberdade de utilizar bicicleta. A partir de agora, minhas viagens nunca serão a mesma coisa. Quero muito voltar a fazer voluntariado novamente, quem sabe com os refugiados, e, ter uma bike para me locomover.

Página da ONG CCHP: http://www.santepheap.org/

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados