REVISTA BICICLETA - Sinalização renova uso de vias em Porto Alegre
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 78

Leia

Revista
Bicicleta



Notícias

Sinalização renova uso de vias em Porto Alegre

Pintura de ciclofaixas, redesenho do viário e melhoria da segurança para pedestres trouxe redução de acidentes. Projeto está entre os dez melhores do Evonik Awards 2017

Por Mobilize
511 visualizações

Sinalização renova uso de vias em Porto Alegre
Foto: Divulgação GPEM/EPTC

Um projeto de sinalização viária para melhorar a segurança de ciclistas e pedestres desenvolvido na rua José de Alencar, em Porto Alegre (RS) acaba de ser premiado como um dos "Top 10" do concurso internacional Evonik Road Safety Award 2017.

A intervenção baseou-se na simples sinalização de solo, com a demarcação de faixas para bicicletas, melhoramento nas travessias para pedestres e redesenho das faixas de carros, para a redução das velocidades. A inovação foi implantada pela Gerência de Projetos e Estudos de Mobilidade da EPTC, sob coordenação da engenheira Alessandra Andrea Both. Com o sucesso, as mesmas medida passaram a ser adotadas em outras vias da capital gaúcha.

Veja o texto do projeto e a galeria de fotos com imagens da via antes e depois das intervenções.  

"O município de Porto Alegre conta desde o ano de 2009 com o Plano Diretor Cicloviário Integrado, que propôs uma rede cicloviária estrutural instituída por lei. Desde 2012 o executivo municipal intensificou a implantação de ciclovias, ampliando a rede de 8,0 km (2011) para 44,7 km (2016).  

Os projetos cicloviários desenvolvidos priorizaram a ocupação da via pelas pessoas, através da oferta de uma infraestrutura adequada para o transporte coletivo, o pedestre e o ciclista. A proposta garante segurança e acessibilidade universal através da implantação de travessias, áreas de acumulação para o pedestre, estendendo a área de calçada com pintura na faixa de rolamento, além da criação do espaço exclusivo para o ciclista.  

O resultado efetivo é a ocupação desses espaços pelos usuários, proporcionando o aumento da segurança viária para todos, o disciplinamento do trânsito e a redução do número de acidentes após sua implantação. No monitoramento do uso verificou-se um aumento do respeito ao pedestre e ciclista nas faixas de travessia, evidenciando que a sinalização horizontal ostensiva é um bom instrumento para a mudança cultural. 

Os investimentos nos modais ativos (a pé e transporte cicloviário) resultam comprovadamente em cidades mais seguras. As estatísticas recentes em Porto Alegre demonstram a redução significativa de acidentes envolvendo bicicletas, com redução de 43,8% nos últimos cinco anos, período no qual se intensificaram os investimentos na infraestrutura cicloviária. Analisando os acidentes ao longo dos últimos cinco anos na rua José de Alencar, identificou-se a ocorrência de 39 atropelamentos e 4 acidentes com bicicletas. Na análise das ocorrências, realizada após seis meses da implantação do projeto, não houve registro de atropelamentos e de acidentes envolvendo bicicleta.

O tratamento realizado na rua José de Alencar priorizou o transporte coletivo e os modais ativos (a pé e transporte cicloviário), atuando diretamente para a mobilidade sustentável. Além disso, buscou simplificar as soluções adotadas, priorizando a utilização de sinalização horizontal e evitando o uso de materiais mais robustos, como semáforos. Dessa forma e com excelente resultado, o projeto exigiu pouco investimento financeiro e buscou ser o menos impactante para o ambiente, proporcionando segurança e incentivando a população ao uso de transportes sustentáveis.

O projeto implantado priorizou a circulação de pessoas de forma a garantir a segurança viária e o equilíbrio entre as opções de deslocamento oferecidas à população, foram criados espaços anteriormente inexistentes para o pedestre e o ciclista e oferecidas condições de travessia segura ao longo da via. O disciplinamento realizado pelo projeto organiza os deslocamentos e prioriza os modos ativos de transporte.

A implantação de ilhas para acumulação do pedestre, em cores que favoreçam a visibilidade, já está sendo replicada no município, pois oferece uma alternativa eficiente para maior proteção das pessoas, com baixo investimentos para sua realização e com boa aceitação por parte dos usuários. Exemplos são os projetos cicloviários implantados nas ruas Ecoville, Neusa Goulart Brizola, Mariante-Silva Só e Loureiro da Silva."

Veja mais em MOBILIZE.ORG.BR

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados