REVISTA BICICLETA - 3 mulheres contam como a bike mudou suas vidas
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 79

Leia

Revista
Bicicleta



Notícias

3 mulheres contam como a bike mudou suas vidas

Descubra como adotar a bicicleta transformou a vida de três leitoras

Por Revista Bicicleta
2.695 visualizações

3 mulheres contam como a bike mudou suas vidas
Foto: g-stockstudio

Além de ser um meio de transporte sustentável, a bicicleta pode turbinar o condicionamento físico, auxiliar (muito) na perda de peso e até aliviar o stress. Aqui, três mulheres contam como adotar a bike transformou o seu dia-a-dia.

Bike speed

Natacha Volpini, 35 anos, publicitária. “Sempre fiz um pouco de tudo: surfe, skate, corrida de aventura… A bike entrou na minha vida há oito anos, quando me  apaixonei por pedalar em montanhas. Depois de um tempo, comprei uma bicicleta de speed e comecei a treinar para a modalidade três vezes por semana – o vento no rosto me dá muito prazer. A vantagem é que meu marido foi atleta profissional, então o ciclismo faz parte da rotina e das nossas férias. O esporte exige muita técnica e a bike precisa ser uma extensão do nosso corpo. Alguns detalhes fazem a diferença, como a altura do selim. Existem, inclusive, modelos específicos para mulheres.”

Leia mais: Quer viajar de graça? App troca exercícios físicos por passagens

Triatleta

Tatiana Dugaich, 27 anos, psicóloga. “Descobri na bike infinitas possibilidades. Com ela, pratico esporte, me desloco pela
cidade e me aventuro por lugares incríveis que até então considerava inacessíveis, como montanhas e estradas. Só que a rotina de uma triatleta amadora não é fácil. São três modalidades e muitos quilômetros de nado, pedalada e corrida.

 

Uma manhadrugada de quarta feira... #nofilter #morning #usp #cycling #lovebike #lifestyle #levantaevai #pedaldamadruga #nascerdosol #mulheresnopedal

Uma publicação compartilhada por Tatiana Dugaich (@tatchidugaich) em

Além dos treinos duplos todos os dias (o primeiro às 5 da manhã!), preciso dar conta da musculação, do trabalho e de outros mil compromissos. Como o ciclismo de triatlo não pode ser feito em qualquer lugar – ele exige um bom asfalto e um terreno relativamente plano –, viajo bastante.”

Mountain bike

Alessandra Mesquita, 34 anos, financeira. “Comecei a pedalar para melhorar minha saúde e logo peguei gosto pelo esporte e passei a competir. Mesmo com o pouco tempo disponível, sigo a planilha de treinos certinho – não é fácil, mas só com sacrifícios conseguimos vencer. As disputas de mountain bike me proporcionam adrenalina e muito prazer. Além das paisagens maravilhosas que compensam qualquer esforço, gosto da sensação da brisa no rosto, da força nas pernas e, principalmente, da impressão maravilhosa de estar quase voando. Para mim, a bicicleta representa sustentabilidade,
liberdade e felicidade. E, em grupo, é sempre mais gostoso.”

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados