REVISTA BICICLETA - Um papo speed
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 76

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Speed

Um papo speed

Se você é uma mulher que busca desafios, quer treinar, mas não gosta de encarar as montanhas e estradas de terra, está escalada para o pelotão das road bikes. Para quem já pedala mountain bike, a speed vai trazer uma nova experiência e vai renovar o seu prazer pelo pedal.

Revista Bicicleta por Claudia Franco
56.943 visualizações
19/02/2016
Um papo speed
Foto: Claudia Franco

Muitas mulheres me confidenciam que adorariam adotar a bicicleta como uma atividade física regular, mas descartam a prática do mountain biking (ciclismo de montanha) por diversas razões: medo de acidentes, não gostam da sujeira do barro ou poeira, do esforço de subir montanhas, das descidas íngremes, entre tantos outros desafios que o mountain biking pode representar a elas. Iniciei no ciclismo exatamente na prática do mountain biking e confesso que o esporte é realmente duro e vai te colocar a prova e resultar em pancadas nas pernas, manchas roxas e esfolados.

Sempre gostei de aventura. Sempre fui meio moleca e o desafio de me equiparar com o marmanjos nas trilhas é uma grande satisfação, principalmente quando consigo transpor obstáculos que alguns deles não conseguem. Virei uma verdadeira “jagunça”. Para a mulher que deseja ir além da volta no parque ou da orla da praia, que espera ter um pouco mais de aventura e emoção junto da magrela e ao mesmo tempo não quer se render às intempéries das montanhas, minha sugestão é a pratica do ciclismo de estrada.

O ciclismo de estrada é praticado com as bicicletas que denominamos, aqui no Brasil, de bicicletas de estrada, speed ou road bikes.

Depois de algum tempo no mountain biking, comecei a me arriscar no ciclismo de estrada. Descobri um novo prazer e a possibilidade de pedalar mais do que uma vez por semana. A prática do mountain biking, principalmente para quem mora em uma cidade como São Paulo, demanda muito tempo de deslocamento, grande distância e poucas opções de lugares. Literalmente é necessário sair da cidade para chegar até uma boa trilha, consequentemente o pedal fica relegado a um único dia da semana, geralmente sábado ou domingo, além disto, você depende de um grupo para pedalar. Com a minha speed posso pedalar sozinha. Coloco a bike no carro, vou até à USP ou alguma ciclovia e consigo fazer o meu treino sem maiores implicações e com tranquilidade.

Iniciei na pedalada com speed exatamente por ter uma opção de local próximo, por poder pedalar longas distâncias e ainda gerar um condicionamento físico muito importante.

Na prática do mountain biking há muitos desafios e é adrenalina quase a todo instante, por conta disto imaginava que a prática do ciclismo de estrada seria monótona, ou seja, montar na bicicleta e ficar ali horas, em linha reta só girando o pedal. Que graça teria isto?! Acredite! Toda a graça do mundo.

A minha percepção foi desbancada na primeira vez que fui à USP com a minha road bike. No começo fiquei um pouco insegura ao perceber a agilidade da bicicleta, e o quanto era fácil e rápido mudar a sua trajetória. O vento forte e a velocidade no início me assustaram um pouco, percebia que a bicicleta respondia com muita rapidez a um mínimo movimento do guidão. Dar as primeiras pedaladas em pé foi um tremendo desafio.

Dois lindos exemplos de mulheres apaixonadas por suas road bikes

“Gosto muito de fazer força, superar limites pessoais. Sou uma pessoa que preza muito a liberdade. Quando estou pedalando de speed estas sensações vem todas de uma vez”. (Dede Mühler)

“A sensação do vento, a força nas pernas e principalmente aquela impressão maravilhosa de voar em velocidade. Sinto-me forte, segura, inteira, autossuficiente, e me conecto completamente com o que tenho de melhor. Acho que descobri minha meditação”. (Sylvia Hartmann)

Passado algum tempo que tenho treinado com a minha speed, vejo-me totalmente apaixonada pelas linhas deste tipo de prática. Pedalar com speed na companhia de outras mulheres é muito divertido, é um momento de grande integração.

O desafio da speed demanda muita capacidade de foco, de concentração. É uma forma incrível de desenvolver sua capacidade física e mental. Física porque trabalha ritmadamente a parte cardiorrespiratória e muscular; mental porque exercita as percepções de movimentos muito rápidos, para isto é requerido muita agilidade.

A velocidade, com a qual aos poucos você vai se acostumando, te traz uma sensação de liberdade enorme. Pedalar muito próximo de outro ciclista exercita a atenção, raciocínio rápido, destreza, confiança em si mesma e no outro. É uma grande emoção!

A sinergia quando se está no pelotão é algo para ser experimentado, pois é difícil transcrever em palavras. Alguns de vocês devem estar pensando: “mas a road bike com aquele guidão voltado para baixo, com aquela roda fininha é muito difícil de pilotar”. Na realidade é relativamente fácil se você já domina as técnicas básicas de pedalar. Com relação ao guidão, não se preocupe, pois é possível a troca do mesmo por um guidão que a deixe numa posição mais ereta.

Não pense que abandonei o mountain biking. Pelo contrário, amo subir as montanhas, amo fazer downhill. Quando me perguntam de qual eu gosto mais, se de mountain biking ou speed, sempre repondo: “Gosto é de pedalar”! Quando pratico mountain biking e subo as montanhas, tenho a sensação de que toco o dedo de Deus. E quando estou com a minha speed sinto que voo como os pássaros!

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados