REVISTA BICICLETA - Transmissões
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Oficina

Transmissões

Revista Bicicleta por Ronaldo Huhm - Instrutor Técnico Shimano Latin America
46.947 visualizações
22/01/2013
Transmissões
Foto: Ronaldo Huhm - Instrutor Técnico Shimano Latin America

Em mais uma Palavra do Mecânico, abordarei um tema muito bacana: transmissões. A substituição dos componentes da transmissão já desgastados por um novo conjunto é, aparentemente, uma tarefa fácil, porém, existem alguns detalhes cruciais que devem ser respeitados para que haja o bom funcionamento do conjunto, seja um de alto rendimento ou de linha de entrada.

Com o passar do tempo os componentes da transmissão se desgastam e torna-se necessário realizar uma substituição. Para isso, veja o caminho das pedras para fazer esse trabalho sem erros. Vamos lá!

Principais componentes da transmissão

  • Corrente
  • Cassete (Pinhões)
  • Coroas
  • Polias do câmbio (roldanas)

Principais cuidados na hora da substituição dos ítens

  • Aperte todos os parafusos.
  • Coroas - 10.78Nm.
  • Polias - 3.92Nm.
  • PedivelaHollow Tech II 12 – 15Nm.
  • Feche a corrente utilizando sempre o pino conector tipo ampola (no caso de Shimano). Muita atenção, pois esses pinos possuem uma medida diferente para cada tipo de corrente, seja de 8, 9 e 10 velocidades.
  • Outro ponto a se atentar é a posição das novas correntes para 10 velocidades que são assimétricas e que devem ser montadas da seguinte forma: com a face das inscrições voltada para fora.

Comprimento da corrente

É necessário posicionar a corrente na coroa maior e no pinhão maior do cassete, sem passar pelo câmbio. Para isso, meça a corrente deixando dois elos de folga e reposicione a corrente na posição coroa menor X cassete menor, dessa vez passando pelo câmbio dianteiro e traseiro. Após esse procedimento, você poderá fechar a corrente utilizando o pino tipo ampola fornecido com a mesma.

Nota

Hoje em dia e de agora em diante, as bicicletas serão cada vez mais tecnológicas, leves e precisas. Para alcançar esse padrão devemos trabalhar com muito cuidado e atenção aos detalhes, por isso o ferramental é imprescindível. Utilize sempre o torquímetro e procure informações sobre o torque a ser aplicado em cada parafuso de sua bike.

Essas informações estão disponíveis nos manuais de proprietário e em alguns dos sites dos fabricantes.

Ainda relativo à montagem, mas referente às coroas: Todas as coroas possuem um “ponto” determinante do sincronismo do sistema, que quando desalinhado impede que as marchas mudem suavemente. Esse ponto é determinado por pequenas saliências nas coroas que servem como referência para a montagem das mesmas. Esses pontos devem estar alinhados sempre na linha do braço do pedivela e entre si.

Aperto dos parafusos das polias

Muita atenção nesse ponto, pois em caso de soltura, o câmbio e o quadro da bike poderão ser danificados. Sempre aperte corretamente tomando cuidado para não espanar o parafuso, sem deixá-lo frouxo.

Lembre-se sempre que é prudente refazer o ajuste dos câmbios, inclusive conferindo o alinhamento da gancheira do câmbio traseiro, pois se houver um desalinhamento, não será possível um ajuste perfeito, independente da condição de desgaste dos componentes da transmissão.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados