REVISTA BICICLETA - Suspensão RST First 32 2012
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Testes - Acessórios

Suspensão RST First 32 2012

Revista Bicicleta por Pedro Cury
34.232 visualizações
05/12/2012
Suspensão RST First 32 2012
Foto: Pedro Cury

A RST é uma marca de Taiwan, fundada em 1972. Em 1990, começou a produzir suspensões para bike e, apesar de não ser tão famosa no Brasil, sempre esteve presente no cenário do MTB mundial. Mesmo assim, alguns produtos da RST fizeram história no Brasil na década de 90, como a Mozo Pro e a Mozo Hi-5.

Nos últimos anos, a empresa investiu no segmento mais competitivo, com sua linha de suspensão First, para cross-country. Testamos a First 32, recém-chegada no Brasil, que conta com muitos ajustes e grande rigidez.

TECNOLOGIAS

Ajuste externo de retorno: abaixo da suspensão existe um botão para controlar a velocidade de retorno da suspensão. O botão é indexado, possuindo 12 cliques.

Plataforma de Pedal OCR: essa tecnologia deixa a suspensão com funcionamento bem rígido quando o terreno não tem obstáculos e funciona automaticamente quando a roda atropela obstáculos maiores. Pode ser ativado ou desativado externamente e também pode ter a sensibilidade ajustada, permitindo o funcionamento com obstáculos maiores ou menores.

Ajuste de compressão do ar - 4 Step Air: um botão com quatro posições regula a quantidade de ar usada no amortecimento, sem a necessidade de uma bomba para por ou retirar ar. Isso permite a regulagem do funcionamento mais rígido ou macio, de acordo com a preferência do piloto e a exigência do terreno.

Entrada de disco Post-Mount: esse tipo de entrada para encaixar o freio permite que sejam usados freios de 160 mm sem a necessidade de adaptador, evitando assim o peso extra.

IMPRESSÕES INICIAIS

A primeira impressão ao tirar a suspensão da caixa é de uma construção robusta. O arco, adaptador do freio e crown são preto fosco com bom acabamento. O arco possui reforços diagonais para trazer maior rigidez. Também possui aparafusado uma guia de plástico para o conduíte.

Todos os botões de ajustes também são em alumínio e anodizados, com impressão a laser indicando suas funções. No botão de retorno existe um adesivo indicando a posição para aumentar ou diminuir a velocidade. A regulagem de retorno possui 12 “cliques”. Há quem prefira com mais ou com menos, mas achamos um bom ponto intermediário.

O TESTE

Para testar, chamamos o piloto Marcelo Carvalho, que já compete desde 1998 e tem alguns títulos regionais. O teste foi feito em trilhas de Belo Horizonte. A grande quantidade de ajustes da suspensão é o diferencial desse modelo e o que mais tentamos focar para o teste.

O sistema de compressão 4 Step Air funcionou perfeitamente, deixando a compressão claramente mais rígida em cada uma das quatro regulagens. Uma função rápida e útil que agradou bastante. Essa regulagem é muito útil para adaptar a suspensão a terrenos diferentes. O controle de retorno também cumpriu o esperado, sendo possível perceber a diferença com apenas alguns cliques de mudança.

O sistema OCR de plataforma de pedal promete deixar a suspensão rígida enquanto não encontra obstáculos e liberar o funcionamento ao atingi-los. O botão Flow Gate permite regular a sensibilidade do sistema. Poucas suspensões do mercado usam esse mecanismo e a opinião de pilotos é dividida: há quem goste e há quem prefira um sistema tradicional de trava. Os pilotos reclamam que esse sistema não é sempre tão “inteligente”, não funcionando como deveria 100% do tempo.

No caso da RST, há uma tendência de funcionar um pouco mais que o necessário, ficando realmente rígida em diversas situações, mas funcionando mais que o necessário em outras. A grande vantagem é ter a comodidade de não precisar lembrar de travar e destravar a suspensão, ficando também com a mão livre para a mudança de marchas. De qualquer maneira, é possível desativar o sistema por completo, liberando o funcionamento normal, porém, não é possível deixar a suspensão toda travada.

Quanto ao amortecimento, a RST caprichou e o funcionamento é muito consistente em todos os modos do 4 step air. A suspensão também já é macia desde o primeiro rolê, sem a sensação borrachuda das antigas suspensões de ar. Nas subidas mais íngremes, onde o peso do ciclista se mantém por mais tempo na frente da bike, o sistema OCR ativado manteve o funcionamento mais firme, diferente de trechos com mudanças repentinas de inclinação.

Nas descidas, o funcionamento também agradou, atropelando os obstáculos sem problemas e mostrando bastante rigidez, justificando seu peso acima da média.

Na opinião de Marcelo Carvalho, “a suspensão conta com um grande número de regulagens para agradar quem gosta de flexibilidade de ajustes em qualquer situação. Porém, o sistema OCR liberou o funcionamento um pouco mais do que eu esperava”.

CONCLUSÃO

A RST First 32 é uma das suspensões que tem o maior número de ajustes do mercado. O sistema de plataforma inteligente é o grande diferencial da suspensão. O ajuste rápido de compressão também é um sistema interessante e útil em situações reais. O preço é atrativo, sendo muito menor que outras suspensões com essas tecnologias. Porém, o peso entra como o ponto negativo para quem quer estar com a frente da bike leve e não faz questão de tantos ajustes.

Prós

Variedade de Ajustes

Contras

Peso

NO BRASIL

O representante oficial da RST no Brasil é a LM Bike: lmbike.com.br. A garantia é de um ano.

VESTUÁRIO: Camisa Free Force Eagle, Bermuda Da Matta, capacete Giro E2, luva Oneil Lacondeguy, sapatilha Gaerne.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados