REVISTA BICICLETA - Santa Cruz - Butcher 2011
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Testes - Bicicletas

Santa Cruz - Butcher 2011

Revista Bicicleta por Pedro Cury
33.779 visualizações
04/12/2012
Santa Cruz - Butcher 2011
Foto: Pedro Cury

Considerada uma evolução dos modelos de pivô único, a Butcher inaugura o novo sistema de suspensão APP criado pela Santa Cruz como uma alternativa econômica, mas eficiente, ao sistema VPP.

A Bike

A alma da bike está no sistema APP (Actual Pivot Point) de suspensão. Esse sistema possui um pivô único para o movimento da balança, porém o amortecedor traseiro é montado em um link que faz com que haja uma variação na força do seu acionamento (shock rate). Como resultado, a bike é mais dura no início do curso, ajudando a anular as forças das pedaladas que influenciam negativamente o desempenho da bike. No meio do curso, o amortecimento segue uma característica linear e no final do curso, novamente o amortecimento fica mais duro, ajudando a evitar os impactos de final de curso e também dando uma sensação que a bike possui mais curso do que realmente tem. Além dessa novidade, são usados também rolamentos de contato angular no link principal da suspensão, o que aumenta a vida útil dos mesmos. Para completar, o pivô principal do sistema é localizado em uma posição estratégica, já amplamente testado e aprovado em outros modelos da marca.

Com 150 mm (6") de curso, o quadro é hidroformado e possui pontos para prender os conduítes dos novos canotes telescópicos oferecidos no mercado. Também possui ISCG 05, que é um suporte ao redor do movimento central para facilitar a instalação de guias de corrente e também permitindo o uso do pedivela Truvativ Hammerschmidt. Além disso, o tubo de direção é cônico, seguindo a nova tendência e permitindo o uso de suspensões mais leves e rígidas, contando também com um ângulo de 67.5º, o que deixa a bike mais apta a descer. O amortecedor traseiro Fox Float RP23 Boostvalve, top de linha de cross-country da Fox, que conta com três posições de propedal, completa o conjunto.

A Santa Cruz não possui nomes diferentes para as diferentes configurações, ao invés disso, oferece 13 kits de montagens diferentes. Testamos o kit D am, que é a opção mais econômica, com componentes de características mais voltadas para o cross-country, portanto, contando com um avanço de 100 mm, guidão de 680 mm e suspensão dianteira com eixo de 9 mm.

A suspensão dianteira é uma Rock Shox Sektor R SA, que proporciona 150 mm (6") de curso com funcionamento a ar e controle externo de retorno. A espiga é cônica, aproveitando essa possibilidade do quadro.

Os freios Avid Juice 3 hidráulicos possuem rotores de 160 mm em ambas as rodas. Já as rodas são compostas de aros WTB FX, com raios DT Swiss em cubos Shimano M525. Os pneus são Maxxis Highroller 2.35 com estrutura de arame.

Esteticamente a bike segue uma linha bem limpa, sem muitas misturas de cores e com um apelo visual nos tubos hidroformados. É oferecida em vermelho, preto, branco, verde, marrom e azul.

O Teste

Para testar a bike, convidamos Junior de Paula, que compete há 4 anos e possui outro modelo da marca, justamente um modelo de pivô único de onde foi inspirada a Butcher. Foi usada uma calibragem um pouco mais alta do que o recomendado nas suspensões.

O que se nota na bike com essa configuração é que apesar dos 150 mm de curso, a posição de condução lembra mais uma bike de cross-country que uma de downhill. Isso é confirmado ao pedalar em trechos planos e subidas. Principalmente nas subidas, a posição é muito confortável e a bike não tem tendência de levantar a roda dianteira, como poderia ser esperado em uma frente tão alta. A mesa de 100 mm certamente tem um papel importante nessa característica. A suspensão dianteira, porém, por falta de uma regulagem externa de compressão e trava, sobe melhor com uma calibragem mais alta que a recomendada. Em trechos técnicos o sistema APP cumpre a promessa de manter a suspensão firme para uma maior tração, o que ainda pode ser customizado através das três regulagens externas de propedal do amortecedor traseiro Fox. Os pneus escolhidos não condizem com as características voltadas ao XC do kit, sendo pesados para subidas mais longas.

Nas descidas, apesar da mesa longa e da calibragem alta das suspensões, a bike brilha! O sistema APP realmente mostra que a bike é capaz de encarar trechos complicados para uma bike de all mountain, com um desempenho superior e parecendo que tem mais curso do que realmente tem. A suspensão dianteira Rock Shox, apesar de não ser a top do modelo, teve um desempenho muito satisfatório, superando os obstáculos sem “reclamar”. Os pneus, que não são ideais para subidas, oferecem desempenho de downhill nas descidas, tendo tração superior principalmente em curvas. Tudo isso faz com que a bike peça mais e mais velocidade e é onde os freios Avid não tiveram o desempenho esperado, não freando forte o suficiente. O guidão de 680 mm também poderia dar um desempenho melhor para a bike nas descidas, se fosse um pouco maior, com 710 mm.

Conclusão

A Santa Cruz sempre inova e impressiona com suas tecnologias de funcionamento das suspensões e geometria equilibrada. O APP mais uma vez prova a competência da marca nesse quesito e a Butcher oferece um quadro que segue as novas tendências, e se manterá atualizado por bastante tempo. Com pequenas mudanças, a bike pode se adaptar melhor a diferentes perfis de praticantes de all mountain, sendo uma excelente opção para quem quer uma bike de desempenho superior, mas sem o custo dos modelos VPP top de linha.

Investimento

Preço é R$ 8.820,00. Sujeito a alteração sem aviso prévio.

Mais informações:
santacruzmtb.blogspot.com
www.santacruzbicycles.com

Prós

• Sistema APP de suspensão
• Tubo de direção cônico
• Amortecedor Fox RP23

Contras

• Freios fracos
• Pneus pesados
• Punho sem lock

Butcher
O nome vem de uma trilha muito rápida e técnica da Califórnia, que é uma das preferidas do pessoal da Santa Cruz. Portanto, pode-se esperar uma bike que encare os piores terrenos, mas ainda mantendo uma característica all mountain. Com a quantidade de curso de suspensão, é esperado um desempenho superior nas descidas em relação às subidas.

Vestuário: Camisa Royal Racing, Bermuda e Luvas Troy Lee Designs, capacete Cratoni Rocket.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados