REVISTA BICICLETA - Rocky Mountain Altitude 970 29
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 78

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Testes - Bicicletas

Rocky Mountain Altitude 970 29

Revista Bicicleta por Pedro Cury
35.490 visualizações
06/12/2012
Rocky Mountain Altitude 970 29
Foto: Pedro Cury

A Rocky Mountain é uma empresa canadense da região de British Columbia, famosa por sua ampla variedade de trilhas, especialmente de alto nível técnico. Essa variedade e dificuldade de terreno reflete na qualidade esperada de suas bikes.

A Bike

O quadro é de alumínio e conta com a tecnologia FORM, usada apenas nos quadros de alta qualidade da marca. Isso significa que os tubos são produzidos com os melhores materiais e fornecedores, além de todas as especificações técnicas necessárias para qualidade superior, desde os formatos até a grossura da parede do tubo. A geometria também é propriedade da marca, chamada de Straight Up geometry. Nela, o ângulo do tubo do selim é mais perpendicular ao solo, com 76 graus, permitindo uma posição muito mais confortável e eficiente nas subidas, mas sem comprometer o ângulo de direção mais aberto e melhor nas descidas, nesse caso, 69.5 graus. O tubo de direção é cônico.

O sistema de suspensão do quadro conta com quatro pivôs, 115 mm de curso e usa a tecnologia Smoothlink. Como todos os sistemas modernos de suspensão, esse novo sistema promete um funcionamento da suspensão traseira sem interferência pelo torque da pedalada. O segredo da Rocky Mountain é a posição do pivô traseiro, que fica acima do eixo da roda e faz com que a direção do torque da corrente esteja paralelo ao link inferior ao longo de todo o curso. Com isso, o funcionamento da suspensão quase não interfere na mudança de tamanho da corrente e também permite um amortecimento mais linear.

A suspensão dianteira é uma Fox 34 Float 29 RL com 120 mm de curso. Esse novo modelo 2012 vem com canelas de 34 mm para maior rigidez com rodas 29", além de eixo de 15 mm com o mesmo objetivo. Além disso, conta com controle externo de retorno, trava na suspensão e tem espiga cônica. Esse modelo com 120 mm de curso é feito especialmente para a Rocky Mountain.
Já o amortecedor traseiro é um Fox Float RP23, que é ajustado internamente especialmente para esse quadro. Esse modelo conta com controle externo de retorno e três ajustes da sensibilidade do Propedal, que é um sistema que ajuda a deixar a suspensão mais rígida ao pedalar.
Os freios são os novos Shimano XT com rotores de 180 mm em ambas as rodas. Esse modelo tem ajuste externo da altura da manete e conta com a tecnologia Ice Tech, que promete maior dissipação de calor.

A transmissão é toda Shimano XT, com tecnologia Dyna-Sys e 30 marchas. O pedivela tem braço de 170 mm ou 175 mm dependendo do tamanho do quadro, conta com 24-32-42 dentes e tecnologia HollowTech II - com rolamentos externos no movimento central. O cassete HG81 tem 11-36 dentes, o que é esperado para bikes 29". Os passadores são compatíveis com o sistema I-Spec da Shimano, para que sejam encaixados diretamente nos freios, sem a necessidade de prender mais uma abraçadeira no guidão.

As rodas contam com aros DT Swiss M 520 29er, 32 raios DT Swiss Competition em cada roda e pneus Maxxis Ardent 2.25. O cubo traseiro é DT Swiss 370 e o dianteiro é Wheeltech XC de 15 mm.

O cockpit é formado por avanço Easton EA90 com 100 mm, guidão Easton EA70 Lo Rise com 685 mm de largura, canote Easton EA70, selim Fizik Gobi XM e punhos com trava.

Esteticamente, a bike é predominantemente preta, com detalhes vermelhos no quadro, aros e suspensão.

O Teste

Para testar, chamamos o atleta Pietro Carlo, que é bicampeão do Paraty Multi-sport e campeão do circuito de corrida de aventura Terra Fast, entre outros títulos. A bike foi testada em terreno técnico, com muitas pedras e condições secas.

Pode-se dizer que a bike se enquadra em uma nova categoria, que ainda traz muitas dúvidas. Afinal, não é só uma bike com rodas 29", mas também uma bike de all mountain (categorizada como Trail pela marca). Considerando as bikes de 29" de cross-country com 80 mm de curso, os 120 mm dessa bike podem colocar dúvidas quanto à geometria e ao rendimento em subidas.
Justamente nas subidas que foi visto um dos pontos mais fortes da bike. A geometria feita especialmente para ter o ângulo do selim mais “reto” realmente fez uma diferença perceptível, facilitando muito a transferência de força para os pedais. A tração em subidas soltas também se mostrou como esperada para bikes 29", sendo mais fácil e ainda podendo ser personalizada com as diferentes posições do Propedal do amortecedor, ou mesmo sendo desativado. O que pode ser melhorado é o pneu traseiro mais específico que o Maxxis Ardent, que acabou perdendo um pouco de tração em situações não esperadas. A trava na suspensão dianteira também é essencial no desempenho das subidas e nesse caso a melhoria poderia vir em uma trava remota no guidão ao invés do botão na suspensão.

Descendo, a bike impressiona, especialmente para quem acha que 120 mm ainda é pouco em uma bike de all mountain. Temos que lembrar de que as rodas 29" atropelam com maior facilidade os obstáculos, correspondendo a quase 20 mm a mais de curso se comparadas a uma roda 26". As suspensões, ajustadas especialmente para a bike e com diferentes opções de regulagens vão atender a qualquer perfil de piloto dessa categoria. Os pilotos mais técnicos vão sentir falta de um guidão maior que o de 685 mm do setup original, uma vez que tanto bikes 29, quanto bikes de all mountain, são muito beneficiadas por guidões maiores que 700 mm. Os novos freios Shimano XT tiveram um desempenho excepcional, com um ótimo poder de frenagem e funcionamento macio.

No comportamento geral, com componentes de linhas tão altas e com o preço do conjunto, não poderíamos esperar nada menos que um desempenho excelente. O novo conjunto Shimano XT mostrou que veio para fazer diferença, com um funcionamento preciso das marchas. A suspensão com novo diâmetro de 34 mm e eixo de 15 mm também deixou a rigidez do conjunto bem perceptível. Não são usadas novas tecnologias como eixo de 142 mm e pedivela press fit, que costumam equipar bikes de cross-country. Ao invés de investir nessas tecnologias, a marca apostou em uma bike um pouco mais pesada, mas com um valor menor e muito capaz, especialmente em termos de rigidez e capacidade para encarar trechos bem técnicos.

Conclusão

A Rocky Mountain Altitude 970 29" vem somar forças à nova tendência de bikes all mountain 29 e com tecnologia inovadora que ajuda a resolver os problemas atuais de construção. A geometria Straigh Up realmente fez diferença no comportamento da bike, ajudando nas subidas e descidas, que é o que todos esperam em bikes de all mountain. A construção do quadro e escolha de componentes é excelente, precisando apenas de pequenas mudanças para os mais exigentes. Quem tem uma veia mais técnica vai se sentir em casa com a Altitude.

Garantia e Investimento

Garantia de cinco anos no quadro e um ano nos rolamentos e demais partes móveis.

O preço sugerido para região sudeste é de R$ 14.899,00.

Prós

• Geometria inovadora
• Quadro de alta qualidade
• Suspensões personalizadas para o quadro.

Contras 

• Guidão estreito
• Pneu traseiro com pouca tração
• Suspensão sem trava no guidão

Vestuário: Camisa Free Force Eagle, bermuda Free Force Expedition, Óculos Spiuk, capacete e sapatilha Specialized.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados