REVISTA BICICLETA - Peugeot Balonete 1951
MPRO
Sapatilha Berm

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 87

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Raridades

Peugeot Balonete 1951

Revista Bicicleta por Valter F. Bustos
43.504 visualizações
17/09/2014
Peugeot Balonete 1951
Foto: Valter F. Bustos

Ao mesmo tempo em que é um prazer falar sobre qualquer modelo das bicicletas Peugeot, por outro lado, causa-nos certo desconforto acompanhado por um naco de tristeza, devido ao desaparecimento prematuro da fábrica brasileira nos primórdios dos anos 80. Os atores dessa fatalidade e o enredo orquestrado até a sua falência merecem uma pesquisa aprofundada em busca da verdade. Mesmo assim, os admiradores e apaixonados pelos modelos aumentam a cada dia.

Para esta edição, selecionamos uma Peugeot Balonete, aro 26, ano 1951. Sem dúvida trata-se de uma “top model”, e uma das mais cobiçadas pelos colecionadores de bicicletas antigas. Também, não é para menos. Projeto exitoso e arrojado da fábrica francesa que acreditou na beleza, conforto, segurança e ótima dirigibilidade.

Para fechar, acabamento primoroso. Entre os colecionadores que conhecemos existem histórias quase inacreditáveis para conseguirem seu modelo, ou ficarem sem ele. Um amigo que não pude consultar antes de finalizar esta matéria com o objetivo de pegar mais alguns detalhes, trocou após muita insistência do interessado, uma Balonete ano 50, num VW 1500, peça de colecionador, muito inteiro. Outro, foi pego pela palavra ao pedir uma vultosa quantia em dólares, pagos na hora; e sem pestanejar.

Ficha Técnica:

Bicicleta Peugeot, modelo Balonete, aro 26, modelo masculino/esportivo, ano 1951, equipada com câmbio Simplex de três velocidades, bagageiro com porta-documentos nos dois lados, tipo marmitinha, farol e dínamo da marca Soubitez. Freios tipo Cantilever-SDG, e cubos (rodas) SDG.
Origem: França.
Condição: original/reformada.
Acervo: MuBi.

Eu mesmo fiz uma loucura para comprar minha primeira Balonete ano 1947, todinha original, inclusive com o inigualável selim “Henri Gautier”, além do conjunto de iluminação “Soubitez”. Talvez, uma de nossas melhores peças. Num futuro, quem sabe vamos paginá-la. Esta beleza troquei com um grande amigo paulista, o Zé Maria, em 1992. Quase 100% completa e em boas condições, necessitava de uma reforma completa e recuperação de algumas peças da tração, o que foi feito sob a orientação e ajuda do saudoso amigo Roque Vanzo, do Ciclo-Vanzo, no bairro da Lapa, em São Paulo. Lá, pacientemente, e sob os olhares do amigo, aprendi a mexer com o câmbio “Simplex-correntinha” como era chamado, muito prático, porém, “tinhoso” para quem não conhece o jeitinho das regulagens.

Trabalhar com qualquer Peugeot é muito fácil devido a detalhes facilitadores de montagem/desmontagem. Elas não possuem parafusos com fendas, logo, a chave de fenda não escorrega, por que você não usa uma. Tanto os parafusos como as respectivas porcas do bagageiro, paralamas, cobre-corrente e estirantes de paralamas são todos de 8 mm. Aliás, todas as medidas são em milímetros. A existência de qualquer coisa em polegadas numa Peugeot tem um significado: foi mexida!

Depois de totalmente desmontada e pronta para a pintura, selecionamos as cores cinza/médio para o quadro e azul para os detalhes, uma vez que os paralamas da bicicleta são feitos em aço inox, outro material nobre na construção dessa bicicleta. Todo processo de recuperação até a finalização (bicicleta pronta) levou três meses. Apenas os manetes de freio e o couro do selim não são originais. Os demais componentes são dela, e funcionam com perfeição.

Outro amigo, durante uma conversa “viajona” sobre as Peugeots me pediu uma definição sobre essa bicicleta, algo tipo conceitual. Foi por aí que percebi que o papo estava estratosférico. No entanto, foi ele mesmo que deu uma bela solução para a conversa: “...a Peugeot é uma bicicleta que não faz barulho ou “nhec nhec” quando pedalada...”.

Concordo plenamente!

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados