REVISTA BICICLETA - Pedalando na chuva
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Mobilidade - Segurança

Pedalando na chuva

Revista Bicicleta por Wadilson de Oliveira Filho
46.574 visualizações
11/12/2014
Pedalando na chuva
Foto: Thinkstock

Ela sempre vem, uma hora chega. Em São Paulo, é companhia constante em alguns períodos. Todo ciclista urbano deve estar preparado para ela: a chuva. É praticamente impossível não se molhar, mas se você estiver pronto para a chuva, ao menos conseguirá manter seus pertences protegidos e evitar que a água escorra por dentro de suas roupas.

Confira as dicas e adapte o que for necessário, pois cada ciclista tem uma maneira de lidar com as situações. 

Para-lamas 

É um item muito importante na bicicleta. Para quem usa a bike como meio de transporte, sabe o quanto eles auxiliam na proteção contra a água das chuvas, poças e valetas. Depois da primeira chuva, você descobre como são importantes.

Eu uso bagageiro, por isso não tenho para-lama na roda traseira. Mas somente o bagageiro não é suficiente, a menos que esteja todo fechado com plásticos ou algum outro objeto. A dica é usar uma bolsa traseira.

Bolsa Traseira

Para dividir o peso e a carga com a mochila, levo parte da roupa e às vezes até sapatos e ferramentas, em uma pequena bolsa presa no bagageiro. Se você tiver um alforje ou bolsa própria para bagageiro, será muito mais fácil.

Tudo que você levar na bolsa ou mochila, coloque em dois saquinhos. Mesmo quando não há chuva, tenho por costume colocar as calças em dois sacos: ainda mais na bolsa do bagageiro, que estará recebendo água por cima e por baixo. Melhor proteger! Protejo também as ferramentas, para garantir vida longa às mesmas.

Para levar a bolsa, amarre-a bem, passando a alça pelo canote. Uma vez o elástico se rompeu e minha bolsa caiu: perdi roupa e ferramentas. Como quase sempre estou com a bolsa, uso a luz vermelha presa no bagageiro, e não no canote, pois ficaria encoberta. 

Roupa

Com chuva, o ideal é usar a menor quantidade de roupa possível, utilizando apenas roupas de tecidos técnicos, evitando o algodão. Mesmo que esteja frio, tente usar bermuda curta, assim você não ficará encharcado enquanto pedala. A roupa que você precisa usar no trabalho deve ir protegida na bolsa ou mochila.

Roupa de baixo é dispensável com o uso de bermudas de ciclista. Essas bermudas secam rápido, portanto nos dias de chuva, evite usar cuecas ou calcinhas.

Luvas

Evite luvas de dedo fechado. Com a chuva, ficarão encharcadas e suas mãos ficarão mais frias. Tente usar as de dedo aberto - só não fique sem luvas, pois elas evitam bolhas, machucados mais graves numa queda e melhoram a "pegada" no guidão.

Se você tiver um par extra de luvas, leve-o com suas roupas. Leve também mais um par de meias. Na volta, você irá agradecer por poder usar luvas e meias secas.

Sapatilhas

Se você usar um tênis comum, seus pés irão se encharcar facilmente, mesmo com pouca chuva, pois este tipo de calçado usa muito tecido. Pedalar com sapatos cheios de água é uma das piores sensações, mesmo no calor. Para evitar essa situação ruim, veja essa dica simples.

Se o seu pé for pequeno, sacolinhas plásticas (essas comuns, de mercado) irão servir. Se você tem um pé gigante, terá que encontrar sacos maiores para uma proteção adequada. Em cada um dos pés, utilize duas sacolas. Se usar apenas uma, a água vai entrar.

Coloque a ponta do pé no canto da sacola, de forma a aproveitar melhor o comprimento da mesma. Passe uma alça dentro da outra.

Dê a volta pela frente do tornozelo e passe de novo a ponta de cada alça por dentro da outra alça.

Siga entrelaçando as pontas das alças. Importante: nenhum nó é necessário! Simplesmente passe uma alça dentro da outra algumas vezes.

Ao colocar a segunda sacolinha, intercale o canto do fundo. Se você colocou a primeira no canto esquerdo, por exemplo, coloque a segunda no direito.

É melhor que no pé esquerdo a segunda sacola fique no canto direito, e vice-versa. Dessa forma, você deixa o excesso de plástico do lado de fora, longe do pedal e da corrente.

Veja o detalhe da alça passando por dentro da outra; vire uma delas e passe novamente por dentro.

Depois de algumas vezes, a "corrente" se mantém presa sozinha. Assim você não precisa dar nó. Se der um nó nos laços fica mais difícil retirar as sacolas, e será preciso arrebentá-la.

Quando terminar um dos pés, dobre bem o plástico e retire o excesso de ar.

Somente dois elásticos bastam para segurar tudo no pé.

Você pode encontrar uma dessas galochas de motoqueiro, mas são pesadas e você não conseguirá usar o clip ou o taquinho, e a água vai entrar nelas. O ideal seriam as polainas impermeáveis, próprias para ciclistas, pois estas sacolinhas requerem um pouco de paciência e tempo.

Se o laço for dado simplesmente passando uma alça dentro da outra, basta puxar para abrir tudo.

Não use muita pressão, apertando demais. Se estiver apertado, em meia hora de pedal seu pé vai inchar, e o tornozelo ficará marcado e machucado. Basta colocar direitinho que a água não entra.

Dobre a barra da calça de modo que esta fique totalmente fora do laço das sacolinhas, e também deixe a meia dobrada para baixo (melhor usar daquelas bem curtinhas, tipo meia sapatilha).

Você pode ficar com uma aparência um pouco estranha, mas só enquanto estiver fora da chuva e desmontado da bicicleta. Lá fora, pedalando debaixo d’água, será normal e muito agradável.

Cheguei a enfiar o pé em correntezas fortes, em valetas e sarjetas, com chuva forte, e meus pés ficaram secos. Como disse, fazer isso pode levar uns minutos a mais e exige sua paciência, mas é muito barato e reutilizável.

Por isso, pareço um office-boy: sempre tenho elásticos (e saquinhos) comigo.

Algumas sapatilhas têm mais componentes sintéticos, não-tecido, exigindo assim menos proteção, já que ela secará muito mais rápido que um tênis de pano. Mesmo assim, não deixe de usar as sacolinhas para evitar o pé encharcado e manter as meias secas.

Coloque os elásticos de modo a não passarem por cima do taquinho. O uso das sacolinhas não irá impedir a trava do SPD.

O pé vai ficar seco e protegido, mas se você não usa taquinho SPD, cuidado, pois o plástico desliza e não é nada aderente, nem no chão nem no pedal. Você terá que decidir em manter o pé seco e perder essa aderência. Se estiver clipado, não há problema nenhum.

Mochila

Eu ainda tenho que carregar comigo documentos, eletrônicos, celular… Nada disso pode molhar. Hora de pegar mais sacolinhas.

Coloque tudo dentro dos saquinhos. Se houver documentos ou outras folhas maiores que não podem dobrar, certifique-se de proteger bem.

Use sempre dois saquinhos. Debaixo de uma chuva forte, é melhor garantir do que confiar que a água não entra na mochila. Experiência própria.

Pacotinhos bem feitos garantem a integridade dos seus objetos, e você vai pra chuva sem medo.

Tudo que você for usar logo que chegar ao trabalho, escola ou em casa, como a chave, o crachá ou dinheiro, deixe em sacolinhas pequenas, nas bolsas menores da sua mochila ou pochete.

Existem mochilas específicas para uso por ciclistas. A anterior é uma Kailash, já bem usada (me acompanhou por quase uma década, a danada), e essa é uma Deuter. Espero que dure mais uma década. Quanto tempo dura um carro?

Para aumentar a proteção, você pode usar uma capa impermeável de mochila. Além de proteger o que está dentro, evita que a própria mochila fique encharcada. A água na mochila encharcada é um peso considerável que você carregaria à toa, além dos respingos no carpete do escritório.

Esse modelo da Deuter já vem com uma capa. Basta abrir o zíper, puxá-la para fora e proteger a mochila.

Depois secar, dobrar e guardar. Muito prático. Capas para mochilas são vendidas em lojas de material esportivo, ou você pode improvisar com um grande plástico.

Jaqueta

Se lá fora houver apenas uma leve garoa, uma simples jaqueta ou anorak servem. Lembre-se de tentar usar a menor quantidade de roupa, para evitar menos água presa ao seu corpo.

Capa de Chuva

Mas se há chuva de verdade, use uma capa de chuva mesmo. Essa aí é uma daquelas de três reais, que qualquer banca de jornais vende. Há capas especiais para ciclistas, mas são bem mais caras, apesar de protegerem quase da mesma forma. A diferença está na mobilidade que elas darão.
Coloque o capuz da capa de chuva primeiro, depois o capacete. Prendendo direitinho, não entrará água pelas costas nem escorrerá pela cabeça.

Luvas

Deixe para calçar as luvas no final, pois você precisará dos dedos livres durante toda essa operação.

Confira os movimentos

Monte na bike e confira se nada está apertando ou repuxando. Vire a cabeça, mexa o corpo, estique os braços. Acerte a posição da mochila e da capa. As capas de motoqueiros não são adequadas, pois são pesadas e tiram o movimento que o ciclista precisa ter.

Pronto pra enfrentar as ruas da cidade com chuva e muita água. Assim como carros nas estradas, em dias de chuva use sempre a iluminação, mesmo de dia. Motoristas são seres limítrofes e bastante incapazes; ajude-os: seja visto! (sério, mesmo com essa roupa de astronauta, amarelo berrante - cheguei e luzes vermelhas piscando na cabeça e bagageiro, sempre escuto um ‘não te vi!’)

Quando chegar em seu destino, deixe a capa secando junto à bike. Você nunca vai saber se na volta terá chuva também - Em São Paulo, é o mais provável). Na dúvida, sempre leve a capa na mochila, não importa a época do ano.

Há uma maneira certa para dobrar a capa, senão você terá um pacotão desajeitado de plástico. Quando abrir a capa recém-comprada, confira como são as dobras. Para dobrá-la novamente, depois de seca, estique e dobre ao meio, juntando as pontas das mangas. O truque está em saber fazer as dobras no capuz, de modo que fique como na foto.

O capuz é dobrado dentro dele próprio. Em seguida, dobre o mesmo e as mangas para cima do corpo da capa. Dobre tudo no meio, pelo comprimento.

Pronto! Não precisa ficar igualzinho ao pacote original, mas assim cabe fácil na sua mochila, sem ocupar espaço. Mantenha a capa sempre limpa e seca, seja ela simples ou específica para ciclistas. Pedalando com esse plástico totalmente impermeável sobre a pele você irá suar, mesmo que esteja frio. Cuidando bem, a capa pode durar muito. 

Ao chegar ao trabalho ou escola, ou depois que retornar para casa, deixe sempre tudo secando. Se precisar secar as luvas, por exemplo, pode deixá-las presas na grade da geladeira: solução dos tempos de antanho. Para evitar ter que colocar os tênis atrás da geladeira também, use os saquinhos nos pés.

Antes de começar a trabalhar, leve a roupa seca com você e troque-se no banheiro. Depois de um pouco de higiene pessoal, que pode envolver o uso de papel toalha, você estará novinho, pronto pra trabalhar, e FELIZ! Já seus amigos, que foram de carro, não estarão rindo e felizes como você.

Dá até pra usar roupa social sem problemas. Basta dobrar as calças e camisas direitinho. Para evitar qualquer amassado na camisa, coloque-a dentro de uma pasta, dessas de escritório, não deixando de protegê-la da água com os infalíveis saquinhos.

Aproveite o ar-condicionado do escritório. Ambientes com ar-condicionado são muito secos (por isso é importante beber água e não abusar do uso contínuo do monitor). Dessa forma, tente deixar em algum canto o que tenha se molhado, como luvas ou o par de meias.

Se há chuva, é necessário cuidar da bicicleta também! As partes mecânicas móveis precisam de uma lubrificação ideal para muita água. Na corrente e nos câmbios traseiros e dianteiros use um óleo lubrificante especial.

Nas ruas da cidade há muita sujeira. Com água, essa sujeira desgasta as sapatas dos freios e podem também arranhar o aro das rodas. Tenha sempre com você sapatas sobressalentes, se você usa sapatas tipo refil, que são mais práticas; para as inteiriças, fica mais difícil. Se usa freios a disco terá um problema a menos, pois enfrentam água, sujeira e lama com mais eficiência.

Se você está na estrada de speed, na trilha de mountain bike, ou mesmo praticando cicloturismo, não tem nada que se proteger dessa forma! As dicas são para quem precisa chegar no trabalho ou na escola de maneira que consiga secar-se rapidamente ou evitar o excesso de água. Fora das ruas da cidade, tem mais é que aproveitar a chuva, protegendo apenas documentos e aparelhos eletrônicos. 

Aproveite a chuva, desfrute do percurso, mas tome cuidado com o chão mais escorregadio, os freios que não funcionam igual, e com os motoristas: seja visível e previsível. Acenda sempre as luzes. Em ruas muito alagadas, não se arrisque, pois há o risco de um acidente com algum obstáculo, como bueiros abertos, ou mesmo um desequilíbrio causado por causa da água.

Por experiência própria - use a bike para ir e voltar do trabalho! Eu venho e volto do trabalho para casa todos os dias com minha bicicleta, não importa o tamanho do temporal. Todos no escritório me invejam, pelo tempo que levo, pela diversão que consigo ter ao pedalar, e pelo ânimo que tenho. Mesmo os que me acham louco também me invejam. Bom pedal!

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados