REVISTA BICICLETA - Passa Quatro
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 67

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Roteiros - Brasil - Sudeste

Passa Quatro

Minas Gerais

Revista Bicicleta por Paulo de Tarso
47.363 visualizações
04/12/2012
Passa Quatro
Foto: Paulo de Tarso

Passa Quatro é uma estância hidromineral situada ao longo de um verdejante vale, no extremo sul de Minas Gerais. Encravada na Serra da Mantiqueira, numa região conhecida como Terras altas a 248 km de São Paulo, 263 km do Rio de Janeiro e a 436 km de Belo Horizonte, no triângulo dos principais centros econômicos do país.

O nome Passa Quatro foi dado pelos Bandeirantes, pois para se chegar ao pouso, cortava quatro vezes o rio. O rio quatro vezes transposto também ficou sendo o Rio Passa Quatro. Félix Jaques e Fernão Dias foram os primeiros bandeirantes a estabelecer um pouso como apoio para as bandeiras que entravam em Minas.

Em 1822, Saint Hillari, no registro de sua segunda viagem a Minas Gerais, disse: “Desde que viajo na Capitania de Minas, talvez nada visse de mais belo que a região atravessada”.

E ele tinha razão, pois Passa Quatro continua em paz, gozando das vantagens de uma natureza exuberante, um clima privilegiado, uma população simples e acolhedora, e um lugar repleto de estradas e trilhas de mountain bike. É nesse lugar que apresentamos um circuito de 45 km, que é parte de uma das competições mais tradicionais do país, o Power Biker.

Trilha do Rio Acima

O circuito de quase 45 km não é dos mais fáceis, afinal, subida é o que não falta. Mas vale a pena o esforço, pois a paisagem enche os olhos de beleza. O início da pedalada é no Hotel São Rafael, que fica bem no centro da cidade. Seguindo em frente vá em direção ao Bairro da Jurema. Em menos de 2 km chega-se à estrada de terra e logo à frente a cidade parece terminar com o final das casas. Mas aí começa a subida, prepare-se que ela é longa. O início não é tão íngreme. Quando o odômetro marcar 6,90, entre na cachoeira. Se estiver com calor vale a pena entrar. A subida continua e aos poucos a inclinação vai moendo as pernas. Mais adiante começamos a atravessar o bairro conhecido como Sertão dos Almeidas. Procure um bar e faça uma parada para repor as energias. Caso o bar esteja fechado, é só procurar pelo dono que com certeza ele abre. Assim que passarmos por um cruzeiro, observe a linda paisagem do vale onde está a cidade. E a subida continua, sobe, sobe e agora com pedras para deixar mais pesado.

No km 11, quando o fôlego estiver quase acabando, chegamos ao final de parte da subida e damos de cara com um lindo vale, onde a parada é novamente obrigatória. Olhando para esquerda avistamos o Bairro da Jurema e acompanhando a estrada morro acima, não desanime, pois é lá mesmo onde a trilha segue. A descida vem com um grande alívio. No Bairro da Jurema, caso esteja muito cansado, pode-se voltar para a cidade entrando na estradinha à direita (são 12 km). Pela frente, vem o trecho mais difícil, tanto pela inclinação quanto pela quantidade de pedras. Tem que ter muito fôlego e pernas, mas nada impossível. Lá em cima tem a recompensa da bela paisagem e da descida que com certeza virá. E quando ela vem ela vem com tudo. Muito cuidado com o cansaço provocado pela subida, pois é nessas horas que acontecem os tombos. A descida ainda segue pela Vila do Rio Acima – só não passe muito embalado nesse trecho devido aos moradores. O final da descida é em outro bairro bem ao lado conhecido como Serão da Serra Verde. Uma curta subida e um curto trecho calçado com início em frente à igreja do povoado, onde você poderá escolher o bar de mais uma parada obrigatória, pois ali o cansaço com certeza já vai estar batendo forte e ainda nem é o meio do caminho.

Zerando o odômetro bem em frente à igreja, siga em frente, sempre na principal. O primeiro quilômetro é bastante tranquilo, mas assim que atravessar o rio vem pela frente outra subida muito forte e com muitas pedras, além de uma descida bastante perigosa até o Sertão dos Martins. O visual impressiona cada vez mais, principalmente quando estiver atravessando uma floresta de araucárias, um lugar de muita paz e beleza extraordinária. Este é o trecho que indica que a descida está próxima. E 10 km depois de zerarmos o odômetro vêm a tão esperada ladeira. São mais de 10 km de descida até a cidade, um verdadeiro prêmio, pois a paisagem tem uma beleza muito especial, tão bonita “que talvez nada visse de mais belo que a região atravessada”.

Outros passeios:

Floresta nacional - Se estiver com mais tempo, vale a pena pegar sua bike e conhecer a Floresta Nacional de Passa Quatro, a 3 km da cidade, onde há matas nativas. Local pioneiro na criação de trutas arco-íris, oferece também uma grande área de lazer repleta de trilhas e uma linda cachoeira, lagos área de camping e uma biblioteca especializada em ciências florestais e ambientais.

Cachoeira da Gomeira – Uma bela cachoeira de mais de 40 metros de altura.

Túnel Ferroviário – Inaugurado em 1881 por D. Pedro I – Palco das Revoluções de 30 e 32. A travessia do túnel é um passeio interessante. Acesso pelo alto da serra na divisa de Minas Gerais e São Paulo.

Passa Quatro - Itanhandu- Passa Quatro – Uma prolongação do roteiro da Trilha do Verde. Um pouco mais longo e com pouco desnível.

Planilhas das pedaladas disponível no site www.sampabikers.com.br

Como chegar

Para quem vem de São Paulo ou Rio de Janeiro o melhor caminho é seguir pela Rodovia Pres. Dutra.
De São Paulo, entre na cidade de Cachoeira Paulista, saída 39 da Dutra, siga placas de Cruzeiro, Sul de Minas – SP 58. Antes da cidade de Cruzeiro, entre à esquerda, seguindo placas Caxambu e Passa Quatro. Início de subida da serra – 30 km. Na divisa de estados a estrada muda para MG 158.
Do Rio de Janeiro – Entre na cidade de Cruzeiro, km 34 da Dutra, e siga as indicações para Passa Quatro e Caxambu.

Mais informações sobre a visite o site clique: www.passaquatro.com.br

O Sampa Bikers é pioneiro nas pedaladas na região realiza também anualmente passeios de mountain bike para grupos fechados na região. Mais informação no site www.sampabikers.com.br.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados