REVISTA BICICLETA - Missão Impossível - Descobrir a idade da mulher no século XXl
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Saúde - Boa Forma

Missão Impossível - Descobrir a idade da mulher no século XXl

Revista Bicicleta por Claudia Franco
42.795 visualizações
28/07/2013
Missão Impossível - Descobrir a idade da mulher no século XXl
Foto: Purestock

Acima de 40 com cara de 25, descubra os segredos de beleza destas mulheres.

Além de atleta amadora de mountain bike e responsável pelo projeto CicloFemini, também atuo no segmento de tecnologia. Trabalho com educadores no desenvolvimento e definição de tecnologias a serem utilizadas em sala de aula. Auxilio os educadores a compreender e a interagir com a geração do século XXI, jovens conhecidos como nativos digitais. Estudo o comportamento desta geração com o objetivo de entender como eles aprendem e interagem com a tecnologia, tão presente em nossos dias.

A partir do momento em que iniciei o projeto CicloFemini, o meu olhar se voltou para as mães destes jovens, para as mulheres do século XXI. Percebi que não somente os jovens haviam mudado bastante, mas as mulheres e mães também.

O impacto tecnológico, a crescente economia, novos valores e conceitos de vida, fizeram surgir uma mulher muito diferente da mãe idealizada, dona de casa e perfeita. A começar pela aparência, a grande maioria das mulheres de hoje são denominadas de “ageless”, ou seja, sem idade, pois romperam com o padrão convencional de comportamento que era ditado apenas pela faixa etária.

É consenso entre as mulheres que não aparentam a idade cronológica: o bom humor, a vontade de ser feliz, conseguir realizar os sonhos, cultivar pensamentos positivos, ter liberdade, uso diário de protetor solar, alimentação balanceada, ficar próxima à natureza e a prática regular de exercícios colaboram para uma aparência saudável e jovem.

Nos tempos atuais, as realizações pessoais de uma mulher estão longe de ficarem restritas à maternidade. Com aparência muito mais jovem, com muito mais disposição e energia, se lançam no mercado de trabalho, conciliam a carreira com o relacionamento e família, trabalham e criam os filhos em jornada dupla. Estão conectadas com o mundo através de blogs, redes e comunidades virtuais. Ganham dinheiro, escolhem seus companheiros sem limite de idade, lançam mão de todos os recursos possíveis – vitaminas, suplementos alimentares e tratamentos estéticos em prol da saúde e, consequentemente, da aparência jovem. O tempo passa e elas não ficam mais velhas.

No segmento esportivo o fenômeno não poderia ser diferente. Cada vez mais as mulheres aderem aos esportes de aventura e competições. Algumas fazem do esporte o seu meio de vida.

Luciana Cox, a Luli, e Adriana Dalman Boccia, a Dri, formaram a famosa dupla pink, a Flower People, sempre presentes nas competições mais importantes de mountain bike e corridas de aventura. Ambas começaram a praticar o esporte quando criança, e a bicicleta sempre esteve presente em suas vidas.

Quem apenas analisa e tira conclusões ao ver a imagem daquelas duas meninas divertidas vestidas de cor-de- rosa, com anteninhas nos capacetes, óculos em formato de estrela, entre tantos outros acessórios engraçados, não imagina que ali estão duas mulheres maduras, fortes, determinadas e decididas.

LuliAlém de se dedicarem com afinco ao esporte, são empresárias. Luli é proprietária da Flower People há 16 anos. A Flower People é uma empresa que decora casamentos e eventos, faz produção e ambientação, cuida de todo o projeto de decoração de festas: dos móveis e flores à iluminação. Dri é proprietária da Flor e Trapo, que é uma empresa de bolsas e acessórios em tecidos. Dri cria e produz todas as peças que são vendidas através de sua loja virtual.

Perguntei a elas o que as faz tão jovens, sem pensar responderam: “Alegria de viver e andar de bicicleta”.  O recado de Luli é: “Comprem uma bike e saiam pedalando. A liberdade que isso te dá é tão incrível, que você até esquece que está se exercitando. É como se você pudesse tocar o mundo!”. Dri recomenda: “Primeiro, não pense muito, vá e tome uma atitude, pois o tempo passa e depois que começa a pedalar, você diz para você mesma: por que não fiz isso antes?"

Cibele Freitas, moradora de São Paulo, também tem um vínculo muito especial com a bicicleta. Além de ser atleta amadora, como ela mesma diz: “Eu vivo, respiro e transpiro bicicleta. A bicicleta é mais do que uma paixão tatuada na alma, é um modo de viver diferente”. Cibele é artista plástica, dona da MyBike Shop, uma loja virtual sensacional desenvolvida por ela mesma. É incrível a quantidade de artigos cujo tema é a bicicleta. 

Somente uma pessoa com tanta energia e amor à bicicleta poderia reunir milhares de itens importados de diversos lugares do mundo, além das peças criadas por ela mesma. Cibele viaja constantemente, cada período do ano está em um país diferente fazendo pesquisas e compras para a sua loja virtual. Ela ainda encontra tempo para outras atividades ligadas à bicicleta, é organizadora da feira Brechocleta e de diversas competições. Sua outra paixão é a filha de 24 anos. Cibele se intitula mãezona e tem certeza de que pedalar é o que a faz dar conta de todos os empreendimentos e atividades.

Outro exemplo é Maria Carla Zinezi, veterinária, moradora da cidade de Guararema, atleta amadora e mãe em tempo integral. Optou por morar em uma cidade do interior de São Paulo para fugir do trânsito, ter mais tempo para se dedicar à profissão, aos esportes e principalmente para cuidar de seus filhos, um menino de 11 anos e uma menina de 8 anos.

Carla pratica mountain bike, natação, corrida de aventura, trekking e canoagem. Desde cedo introduziu os filhos em suas atividades esportivas -  uma forma de estar mais tempo com eles, e também incentivá-los. Carla ressalta que morar em uma cidade do interior lhe dá melhor qualidade de vida, por ter a natureza por perto e poder oferecer isto aos filhos. “Preciso sempre da minha dose diária de adrenalina, senão eu morro! Sou feliz, feliz por poder usufruir do que a vida me deu de melhor – a liberdade!", finaliza.

Caras leitoras, depois de ouvir estes depoimentos, concluo que a beleza não tem prazo de validade, podemos ser eternamente belas e jovens, pois a beleza é um estado de espírito, é aceitação, é amor próprio, é fazer aquilo que gosta. Pratique esporte, pratique a liberdade, pratique a alegria de viver e o tempo continuará seu amigo.

Texto: Cláudia Franco - Fotos: Arquivo Pessoal

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados