REVISTA BICICLETA - Merida Big.Nine TFS 500-D
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Testes - Bicicletas

Merida Big.Nine TFS 500-D

Revista Bicicleta por Pedro Cury
37.936 visualizações
05/12/2012
Merida Big.Nine TFS 500-D
Foto: Pedro Cury

Que a Merida tem bikes que conquistaram importantes títulos, muita gente sabe. Mas as linhas menos especializadas também oferecem opções interessantes para os entusiastas.

Testamos a Merida Big.Nine TFS 500-D, que está na parte alta das bikes 29" de entrada da marca.

A Bike

O quadro Big.Nine, assim como outros da marca, possui a tecnologia Techno Forming System (TFS), que permite a construção de tubos de formatos e espessuras específicos, resultando em um quadro mais rígido e resistente. As soldas são feitas por um processo robotizado, trazendo maior precisão, melhor acabamento e sem prejuízo na resistência. É oferecido em cinco tamanhos, uma característica ainda mais importante para bicicletas 29", já que elas têm fama de beneficiarem apenas atletas altos.

A suspensão é uma SR Suntour 29 XCR RL, que conta com 100 mm de curso, trava acionada pelo guidão e funcionamento por mola. A espiga é de alumínio, ajudando a diminuir um pouco seu peso.
Os freios Shimano M446 são hidráulicos e com discos de 180 mm em ambas as rodas.

A transmissão é composta pelo sistema Dyna Sys da Shimano, com destaque para o cassete 11-36 e câmbio traseiro Shimano XT. Acompanhando o conjunto, está o câmbio dianteiro Shimano Deore, trocadores Shimano Deore e pedivela Shimano Deore, resultando em 30 marchas.

As rodas vêm equipadas com aros Big.Nine Pro D (feitos especialmente para a Merida pela Jalco), raios em inox, cubos Shimano M435 com sistema Center-Lock e pneus Schwalbe Rapid Rob 2.25.

O cockpit conta com guidão reto Merida Pro OS de 660 mm, avanço Merida Pro OS com 80 mm, punhos Merida, canote Merida Comp e selim Merida.

Esteticamente a bike é predominantemente preta, com detalhes brancos e vermelhos, combinando quadro, selim, punhos e suspensão.

O Teste

O atleta Igor Ramon foi o responsável por testar a bike. Ramon é bi-campeão do Paracambi Marathon Cup e vice-campeão estadual de XCO sub-30, entre outros títulos. Pedalamos por uma trilha de nível moderado, com algumas subidas soltas e trechos de raízes. Trocamos os pedais originais por pedais clip usados pelo atleta.

Em geral a bike segue o comportamento esperado para bikes com rodas 29. É preciso acostumar a usar as marchas de maneira diferente para uma melhor aceleração. Com o câmbio XT, essas mudanças de marchas são mais precisas do que esperado para uma bike de entrada, apesar do pedivela ainda ter o antigo padrão Octalink.

Nas subidas o cassete com maior catraca de 36 dentes ajuda bastante. É possível encarar subidas mais íngremes com menos aceleração, mas sem perder também a inércia nas rodas grandes. A trava remota também se mostra essencial, especialmente em subidas mais lentas onde é preciso manter essa inércia e quando é necessário acelerar mais rapidamente. Destravada, a suspensão tem o funcionamento muito macio, o que vai desagradar alguns pilotos, mas apesar dos 100 mm de curso, a geometria e os excelentes pneus Schwalbe permitiram subir trechos mais íngremes sem que a roda dianteira levantasse.

Descendo, a bike se beneficia bastante das rodas grandes, que atropelam os obstáculos com facilidade, ainda mais com seus 100 mm de curso. A falta de controle de retorno na suspensão é um ponto negativo para o ajuste fino de acordo com o piloto e diferentes terrenos. Outro ponto negativo são os punhos sem trava, que não giraram durante o teste, mas sempre trazem desconfiança. Os freios oferecem funcionamento muito consistente nas diversas situações, lembrando que rodas 29" são mais difíceis de frear, o que justifica o uso de rotores maiores, de 180mm. Apesar do guidão não ter colocado dificuldades, ter um modelo um pouco maior e inclinado (rise) poderia trazer maior controle nas descidas. Já os pneus, novamente se comportaram bem, especialmente em terreno mais macio e em frenagem mais agressiva.

Conclusão

A Merida Big.Nine TFS 500D apesar de figurar na linha de entrada, oferece componentes de alto nível, como o câmbio XT e a transmissão de 30 marchas. Mesmo com a suspensão sem controle de retorno, o desempenho da bike vai surpreender quem está entrando no esporte ou trocando de bike.

Prós

• Cassete 36 dentes
• Câmbio Shimano XT
• Pneus Schwalbe

Contras

• Pedivela com sistema antigo
• Suspensão sem controle retorno

Garantia e Investimento

Garantia de seis meses para peças e um ano para o quadro. A garantia para o quadro se extende para três anos, caso sejam feitas as manutenções períodicas em lojas credenciadas. 

Preço sugerido: R$ 4.599 (valores com base em SP).

Ficha Técnica

TAMANHOS - 15, 17, 19, 21 e 23

QUADRO - Big Nine EG TFS-D

Susp. Diant - SR Suntour 29 XCR-RL 100

CAMBIOS Diant - Shimano Deore

CAMBIO Tras.  - Shimano XT

TROCADORES - Shimano Deore Rapidfire

AVANÇO - Merida Pro OS

GUIDÃO - Merida Pro OS 660 Flat

FREIOS - Shimano M446 180mm

PEDIVELA - Shimano M522-10 42-32-24

CUBOS - Shimano M435 Cen

AROS - Big Nine Pro D

CASSETE - Shimano CS-HG62-10 11-36

PNEUS - Schwalbe Rapid Rob 29er 2.25

SELIM - Merida Sport

CANOTE - Merida Comp 27.2

PEDAIS - XC Alloy (não testados)

Peso: 13 kg (sem pedais)

 

Vestuário: Capacete BBB Fenix, óculos Tifosi Slope, luvas BBB Racer, frequencímetro Suunto Quest, Bermuda Kailash, meias Lin, sapatilha Diadora.

 

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados