REVISTA BICICLETA - Haute Route
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 67

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Eventos - Internacional

Haute Route

Segunda Edição - 19 a 25 de agosto - Genebra (Suíça) a Nice (França)

Revista Bicicleta por Anderson Ricardo Schörner
33.358 visualizações
03/12/2012
Haute Route
Foto: Manu Molle

Cerca de 600 ciclistas participaram da segunda edição da Haute Route, um evento ciclístico muito duro e de maior altitude do mundo. Dentre os ciclistas, algumas personalidades marcaram presença, como o ex-piloto da Fórmula 1, Alain Prost. Com início na bela cidade de Genebra, na Suíça, passando por Megève, Courchevel, Alpe d'Huez, Risoul, Auron até chegar em Nice, na França, a disputa cobre 780 km de distância e 21 mil metros de altitude.

 Essa edição teve a participação de 24 brasileiros. Mesmo com tantas dificuldades e a performance excelente dos competidores, todos são amadores. O brasileiro Peter Wetzlar, que estreou na Haute Route esse ano, comentou: "apesar dos três Triatlos Ironman que já completei, além de inúmeras travessias aquáticas e maratonas, não temos um background forte em ciclismo. Mesmo assim, decidimos encarar esta prova que, ainda em sua segunda edição, já é considerada a prova de ciclismo de estrada amador mais difícil do planeta".

O trajeto passou por 19 gargantas e fendas míticas ao longo de sete etapas cronometradas, além de incluir onze novas subidas. Segundo Rémi Duchemin, CEO da OC Sport, promotora do evento, "os Alpes estão cheios de cenários espetaculares e rotas fabulosas. Por isso, restringir o percurso seria um erro. Além de renovar o interesse dos competidores, nós quisemos redesenhar a rota para incluir ícones mundialmente famosos, como Courchevel e Alpe d'Huez".

A primeira etapa foi vencida pelo francês Peter Pouly. Ele percorreu os 124 km entre Genebra, na Suíça, e Megéve, na França, em 3 h 07 min 07 s. A etapa passou por três altos picos e escalados com até 9,5 km e representou um total de 2.700 metros de subida.

Emma Pooley, da Grã-Bretanha, campeã olímpica e mundial, foi a primeira mulher a completar a etapa e ficou no quarto lugar da geral. Guilherme Ballesteros Magalhães foi o melhor brasileiro na etapa e completou no tempo de 3 h 33 min, em 25º lugar.

A segunda etapa era teoricamente a menos dura do evento ciclístico, mas muitos atletas chegaram à fantástica estação Alpina de Courchevel 1850, com os últimos 20 km de subida, com rostos cobertos de suor e semblante de muito esforço.

Mas a etapa mais temida era a terceira: Courchevel a Alpe d'Huez. "Eu estava com muito medo. Eu nunca havia subido 4.700 metros antes", disse Pascale Legrand, do Canadá. Sob um calor intenso e depois de duas etapas duras, os atletas passaram pelos lendários Col de la Madeleine e Col du Glandon, além da subida final para o Alpe d'Huez. Foi preciso uma grande dose de resistência e perseverança física e mental para superar a dor e o cansaço.

A quarta etapa foi um contrarrelógio individual em Alpe d'Huez: um percurso de 15 km com ascendência de 1.100 metros e 21 curvas sinuosas. Os ciclistas partiram em intervalos de 10 segundos. Os mais rápidos encorajavam os mais lentos, incentivando e provando o espírito motivador entre os atletas. Peter Pouly, vencedor do Haute Route 2011, completou o percurso em 42 min 20 s, um desempenho fantástico. O recorde do percurso cabe a Marco Pantani, que completou o percurso em 37 min 35 s em 1997.

Na quinta etapa, os atletas encararam um percurso com alto grau de dificuldade. O percurso foi marcado por quatro subidas em montanhas pitorescas. No Col de Sarenne, temperaturas amenas. No Col du Lautaret, um longo aclive. Antes de chegar a Risoul, o Col d'Izoard presenteou os atletas com belas vistas de formações rochosas impressionantes.

A penúltima etapa entre Risoul e Auron levou os ciclistas ao teto da Europa em uma escalada muito interessante e desafiadora. O percurso de 110 km passou por Col de Vars (2.109 m), Cime de la Bonette (2.802 m) e a subida para Auron (1.600 m).

A chegada em Nice aconteceu no dia 25 de agosto. Para muitos, concluir essa dura prova já foi uma vitória inesquecível. O primeiro lugar ficou novamente para o francês Peter Pouly, vencedor da Haute Route em 2011. Ele venceu cada uma das sete etapas e com um desempenho fenomenal terminou 49 minutos à frente do segundo colocado.

A britânica Emma Pooley venceu no individual feminino e finalizou na quarta posição geral. Dentre as mulheres, Emma brilhou e fez uma prova incrível. A diferença dela para Alexandra Louison, segunda colocada no feminino, foi de 03 h 28 min 27 s. Ela e Peter cruzaram a linha de chegada juntos na última etapa.

Entre os brasileiros, o melhor colocado foi Guilherme Ballesteros Magalhães, na 33ª posição. Ainda entre os 50 primeiros, Antonio Garnero apareceu na 43ª posição. Com 90 equipes na disputa, o time do Brasil terminou em 8ª lugar no ranking geral: um resultado sensacional.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados