REVISTA BICICLETA - Elaine Navarro - Eu Pedalo
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Eu Pedalo

Elaine Navarro - Eu Pedalo

Publicitária e webdesigner. Praticante de mountain biking há nove anos, organizadora da Pedalada das Meninas.

Revista Bicicleta por Elaine Navarro
33.859 visualizações
15/12/2011
Elaine Navarro - Eu Pedalo
Foto: Elaine Navarro

Minha história de amor com a bicicleta começou bem antes que eu me desse conta de estar apaixonada.

Morava numa cidade do interior paulista, de 150 mil habitantes, mas que sempre foi referência para eventos que envolviam a bicicleta. Nos anos 80 a sensação era o bicicross. Sempre que eu podia estava presente nas pistas e campeonatos que aconteciam na cidade, como espectadora e torcedora. Não conhecia muito bem o cenário, as pessoas, mas as duas rodas me encantavam e eram suficientes para atraírem a minha atenção.

Eu não pedalava. Minha primeira bicicleta ganhei aos 13 anos, em uma rifa. Pouco pedalei com ela, meus pais achavam um brinquedo perigoso, achavam que eu era distraída, que poderia sofrer ou causar algum acidente, então foram poucas as vezes que pedalei na minha infância e adolescência. Isso não adiantou de nada, a paixão inconsciente já existia, só faltava eu me dar conta.

Alguns anos mais tarde, fazendo jus ao que meus pais achavam (que eu era distraída) quase fui atropelada na rua por um ciclista e sua mountain bike. Coisas do destino ou do acaso, um pouco de tempo depois este ciclista se tornou meu namorado e há 18 anos meu marido.

A paixão dele pela bicicleta fez com que eu tivesse consciência do quanto eu também era apaixonada pelo mesmo objeto/brinquedo. Tínhamos um amigo em comum e inspiração para muitas pessoas que se aventuraram no mountain biking, o Marcio Ravelli – 12 vezes campeão brasileiro de mountain bike – e por causa deles, comecei a frequentar as competições, como torcedora, é claro. Eu achava, por levar uma rotina sedentária, sem hábito de praticar esportes, que eu nunca seria capaz de pedalar como aqueles meninos pedalavam. Foi assim durante muito tempo.

Meu marido pedalava sempre e eu, embora compreendesse e apoiasse, me sentia entediada por passar os finais de semana em casa, fazendo nada, enquanto eles pedalavam, curtiam, interagiam com a natureza. Foi então que pensei, “chega de ser apenas torcedora, será que consigo pedalar também?”

Graças ao incentivo do marido e amigos eu consegui sim! As primeiras pedaladas não passaram de cinco ou sete quilômetros. Comecei lentamente, da área urbana para as estradas de asfalto. Do asfalto para as estradas de terra e na terra, aos poucos fui descobrindo o quanto este tipo de terreno tem a oferecer. Estradões de terra batida, trilhas de vaca, singletracks, trechos técnicos. Cada descoberta era um aprendizado. Cada aprendizado uma explosão de sensações deliciosas. Nunca mais parei! Conforme fui adquirindo condicionamento físico e experiência, me aventurei no cicloturismo. Hoje pedalo grandes distâncias e, às vezes, apenas por diversão tenho me aventurado em competições amadoras.

A vontade, a paixão pelo ciclismo só cresceu ainda mais e se consolidou. Aí o que surgiu foi uma carência, uma vontade de ter companhia feminina no pedal. Eram poucas as mulheres que pedalavam na época, e na minha cidade, praticamente nenhuma. Foi então que, há sete anos surgiu a primeira Pedalada das Meninas. Hoje, consolidado como um evento, tem como principal objetivo incentivar mulheres a pedalar e conhecer, em especial, o mountain biking. A Pedalada das Meninas acontece sempre em março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Acho que nossa "sementinha" tem dado fruto, o evento a cada ano conquista novas adeptas, ganha amigos, fideliza parcerias e proporciona momentos muito agradáveis a quem participa. Além de motivar algumas participantes a seguir no esporte competitivamente, participando frequentemente de provas do circuito amador.

A conclusão que chego é que estar envolvida e praticar esporte com a bicicleta só me trouxe benefícios. O principal deles? Qualidade de vida! Também trouxe benefícios no que diz respeito à saúde, auto- estima, interação com a natureza, socialização, entre tantas outras coisas.

Outro fator positivo: a mobilidade urbana! Sim, a bicicleta é meu meio de transporte, utilizo para trabalhar, ir ao supermercado, pagar contas etc. Vou vestida esportivamente, arrumadinha, chic, de sapatilha, tênis ou salto alto, não importa. O importante é que a bicicleta cumpre o seu papel, me permite a mobilidade de que preciso e ainda contribui para a preservação do meio ambiente.

Realmente é um esporte que vale a pena, e que bom ser tão apaixonada por ele.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
1 comentário.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Vilson R. Corrêa

13/06/2013 às 12:19

Parabéns por ir em busca de seu sonho,pedalar é vício muito bom,que só faz bem e se for em companhia de bons amigos,natureza e comhecer novos lugares é melhor ainda.Abraços pra vocês e que continuem juntos na vida e nos pedais.

Felicidades.
Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados