REVISTA BICICLETA - Avanço (Mesa)
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 67

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Oficina

Avanço (Mesa)

O avanço, também conhecido por mesa, é mais um daqueles componentes que não parece ser importante, porém, é fundamental para um melhor controle, conforto e segurança na bicicleta

Revista Bicicleta por Pedro Cury
54.586 visualizações
05/08/2013
Avanço (Mesa)
Foto: Lightpoet

Conheça bem esse componente com as informações abaixo:

Comprimento

Essa é a medida mais importante e ao mesmo tempo mais difícil de ser escolhida, pois a escolha depende da modalidade, características físicas do ciclista, geometria do quadro e também estilo de pilotagem. Um bike fit é a melhor opção para saber a medida correta ou pelo menos se ter um ponto de partida. Uma medida errada pode trazer um grande desconforto, incluindo dores na lombar.

De qualquer forma, em geral no MTB, mesas mais curtas trazem um maior controle em descidas, porém, deixa o ciclista em uma posição desconfortável em subidas.

Angulação

Depois do comprimento, essa é a medida mais importante, pois vai ajudar a definir a altura do guidão. Mesmo sendo possível subir um pouco a altura da mesa com o uso de espaçadores, essa não é a situação desejada, pois aumenta a força exercida na espiga do garfo, podendo até quebrá-lo e resultar em um acidente grave. Alguns fabricantes recomendam não usar mais de 3 cm de espaçadores abaixo da mesa. Além disso, o uso de espaçadores não resolve o problema de quem quer diminuir a altura do guidão. Vale lembrar também que alguns avanços podem ser invertidos para usar o guidão mais alto ou mais baixo de acordo com a situação.

Diâmetros

Em relação à compatibilidade, a medida que precisa ser vista é o diâmetro, tanto o do encaixe na espiga do garfo, quanto o do encaixe no guidão. Aqui não há escolhas: apenas peças compatíveis se encaixam e não é recomendado usar nenhum tipo de “gambiarra”.

Designs

Algumas marcas possuem diferenças interessantes no design dos avanços. Para apertar a peça na espiga, alguns fabricantes optam por apenas um parafuso, enquanto outros optam por dois. Também nessa parte, alguns fabricantes tomam o cuidado de deixar o parafuso mais para dentro da peça ou encaixado em outra direção, para evitar que uma joelhada acidental do ciclista possa feri-lo. Já na parte da frente, em que é preso o guidão, são usados de um a quatro parafusos, dependendo do modelo e propósito do avanço. Os de quatro parafusos são muito usados em bikes de modalidades mais extremas, mas também estão presentes nos outros segmentos. Já o corpo do avanço costuma ser cilíndrico ou retangular.

É preciso ficar atento ao design da tampa e do encaixe desta ao usar guidões de fibra de carbono. Alguns modelos mais antigos possuem um acabamento menos trabalhado do material, deixando rebarbas que podem danificar o guidão ao ser apertado. Mesmo nos designs modernos é altamente recomendado usar um torquímetro para o aperto dos parafusos, uma vez que o torque excessivo é a maior causa de danos a esses guidões.

Peso

Como não poderia deixar de ser, o peso aqui também não passa despercebido. Não é um item prioritário para a redução de peso, já que não é uma peça de movimento constante, porém, é sempre mais uma oportunidade. Os avanços mais leves do mercado são os de bike de estrada e estão abaixo dos 100 g.

Material

Alumínio é o material mais utilizado na construção dos avanços atuais, mas também são encontrados alguns modelos em titânio, aço e até fibra de carbono. Alguns modelos também podem vir equipados com parafusos de titânio para diminuir alguns gramas a mais.

Especiais

SPECIALIZED CLP Multi 
Esse avanço para mountain biking tem uma característica diferente dos demais. Acompanha três anéis de diferentes espessuras, para serem colocados na parte interna do encaixe com a espiga. Esse anel permite que o ângulo do avanço seja alterado, com mudança de quatro graus em um anel, dois graus em outro e zero grau no terceiro, resultando em um total de 10 ângulos diferentes de montagem para o mesmo avanço.

TRIGON RB 117
Esse modelo na verdade é uma mistura de guidão e avanço integrado em peça única de fibra de carbono para estrada. A vantagem é ter uma peça mais rígida, de menos manutenção e com um peso baixo em relação à rigidez. Porém, é preciso ter certeza das medidas corretas tanto do avanço quanto do guidão. Também existe o modelo HB 111 para mountain biking.

CRANK BROTHERS COBALT 11
Um dos avanços de mountain biking mais inovadores do mercado, o Cobalt 11 é feito em fibra de carbono e possui apenas um parafuso Torx de fixação na espiga e um para fixar o guidão, através de um sistema proprietário da marca. Pesa apenas 115 g (versão de 100 mm) e possui a parte de trás arredondada, evitando ferimentos em caso de uma joelhada acidental.

MOB
Para BMX temos a opção nacional da MOB com o modelo Color Shot Pro. Usinada em alumínio 7075, está disponível em diversas cores anodizadas. O comprimento é de 52 mm e o tipo de montagem do guidão é front load. É compatível com guidões 22,2 mm e espiga de 28,6 mm, seus seis parafusos alen M8 são vazados para redução de peso. A mesa completa pesa 235 g. 

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados