REVISTA BICICLETA - Seres Humanos Extraordinários
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Ideias

Seres Humanos Extraordinários

O que faz um ser humano ir além do provável? O que faz um ser humano buscar incansavelmente o sucesso? O que move estas pessoas?

Revista Bicicleta por Claudia Franco
39.824 visualizações
06/11/2012
Seres Humanos Extraordinários
Foto: Divulgação

Em uma rápida pesquisa na internet lendo algumas citações entendi que entre o fracasso e o sucesso existe uma linha diminuta, uma pequena diferença de dias ou talvez minutos. Entendi que pessoas comuns tornaram-se geniais, famosas, únicas, exatamente por acreditarem, por serem persistentes, sonhadoras e por terem fé inabalável, por terem convicção e nenhuma dúvida quanto a realização de seus sonhos.

Através destas citações vê-se a grandiosidade de propósito na alma destes grandes seres humanos:

“Nossa maior fraqueza está em desistir. O caminho mais certo de vencer é tentar mais uma vez. Muitas das falhas da vida acontecem quando as pessoas não percebem o quão perto estão quando desistem.” - Thomas Edison.

“Mesmo desacreditado e ignorado por todos, não posso desistir, pois para mim, vencer é nunca desistir.” -  Albert Einstein.

“Há mais pessoas que desistem, do que pessoas que fracassam!” -  Henry Ford.

“Um homem não está acabado quando enfrenta a derrota. Ele está acabado quando desiste.” -Richard Nixon.

“Poucos aceitam o fardo da própria vitória; a maioria desiste dos sonhos quando eles se tornam possíveis.” -  Paulo Coelho.

Estas pessoas talvez passassem a vida inteira no anonimato, relegados a esconder-se na própria sombra se não tivessem tanta convicção de que tudo é possível. O que os fez tão diferentes e notáveis? Acreditaram no impossível e o realizaram. Persistiram, motivaram-se e lutaram até vencer, mesmo não sabendo se seriam ou não bem-sucedidos.

Sem dúvida você já ouviu falar da Brasil Ride, a ultramaratona de sete dias que acontecerá na Chapada Diamantina de 21 a 29 de setembro. Cada dia desta prova terá em média de 80 a100 quilômetros do mais puro mountain bike, pelos caminhos abertos no garimpo de diamantes do século XVIII. O verdadeiro desafio desta prova não está só em vencer, mas no autoconhecimento, viver o esporte, superar os limites e chegar o mais próximo da natureza que se pode estar.

Se este tipo de competição é considerada extremamente dura para atletas profissionais em perfeita forma física, imagine um atleta com necessidades físicas especiais participando e disputando quilômetro a quilômetro sem diferenciação de categoria? Impossível? Que nada! Para Adalto, Marcos e Alessandro as dificuldades se findam no querer, na certeza, no desejo imenso de realizar o sonho.

Sem dúvida, estes atletas são marcados pela superação. No caso do Adauto Belli, a deficiência visual não atrapalha sua alegria de viver, tanto que ele não perde o bom humor mesmo encarando sete dias consecutivos de puro MTB com altimetria que supera os 12 mil metros acumulados de subidas. "Acredito que pessoas que superaram limitações físicas possuem um poder e uma força psicológica apurada, que é essencial para cumprir um desafio como a Brasil Ride, em que a parte mental é tão ou mais importante do que a física", comenta Mário Roma, idealizador e organizador da competição.

Adauto Belli é atleta, multiesportista , adestrador de cães e deficiente visual. Nascido em Brasília – DF, é deficiente visual, tem baixa visão em função de uma Retinose Pigmentar.

Adauto participa de competições de mountain biking em duplas utilizando uma bicicleta tandem. Participou das duas edições da Brasil Ride em 2011 e 2012.  “Cada corrida é sempre um novo aprendizado, a superação é divida por dois, por isto os laços de amizade e confiança ficam mais fortes a cada etapa, a cada experiência vivida”, comenta Adauto.

 

Marcos Fenício Lopes Dias, 45 anos, casado, pai de duas crianças, empresário, perdeu parte da perna, do joelho para baixo em um acidente de moto aos 17 anos de idade. Participou das duas edições da Brasil Ride em 2011 e 2012. “Perder parte da perna nunca foi uma limitação na minha vida, pelo contrário, não ter a perna foi um impulsionador, pois sempre busquei realizar coisas como uma pessoa sem limitações. Faço o que gosto. Não existe na minha cabeça uma limitação, pensamentos do tipo: você não vai conseguir porque não tem a perna. O que existe é uma força que me empurra: você consegue. Meu emocional sempre acha que é possível, aí o racional avalia se mecanicamente é possível, se for, busco este desafio com muito prazer e dedicação ”, relata Marcos.

Alessandro Calvete Nuñez, 39 anos, engenheiro eletricista, casado e pai deuma filha de quatro anos,  superou um câncer que deixou sequelas. Alessandro é um atleta ostomizado ou colostomizado, ou seja, utiliza bolsa de colostomia ou coletoras e é irreversível. Alessandro contou que sempre teve interesse pela aventura, pelo desafio, poder conhecer meus limites.

Ao conversar com Marcos, Adauto e Alessandro percebe-se traços similares em suas personalidades, como bom humor, determinação, fé, gratidão e gostar de viver. Certamente é o que os leva sempre adiante. Marcos e Alessandro pontuaram um diferencial importantíssimo que é o amor pela família e o apoio que ambos recebem das mesmas.

Segundo Marcos, ele tem a turma motivacional: a esposa Mariana e os filhos Lara e João. "Com eles, tudo fica mais fácil na minha vida. Minha família tem muito valor e importância para a minha obtenção de forcas e busca de objetivos”, enfatiza Marcos.

“Apesar da minha ausência temporária hoje devido aos treinos, sei que minha esposa no fundo fica feliz de me ver voltar a praticar tudo que fazia antes do câncer e isto me da muita energia sem dúvida”, completa Alessandro.

“A força de vontade para conseguir conquistar as metas é fundamental para qualquer pessoa. Parafraseando um campeão conhecido, 'a dor é passageira, desistir é para sempre', como eternizou Lance Armstrong. Sem dúvida, este tipo de valor: persistência, determinação, disciplina, garra, entre outros elementos necessários para persuadir e superar os obstáculos são importantes para qualquer ser humano, seja no estabelecimento de grandes metas dentro do esporte, assim como são valores que devem ser usados e relembrados no dia a dia, pois o ser humano tem plena capacidade física e mental de conquistar aquilo que deseja, basta mensurar os objetivos, dividi-los em metas tangíveis e ir atrás do verdadeiro sonho. No caso da Brasil Ride, são sete dias e etapas que permitem uma transformação pessoal e social, pois independente da condição social, todos convivem juntos e compartilham a mesma jornada. Evidente que uns têm mais dificuldades ou facilidades do que outros, e cada um tem seu próprio limite. Lidamos com a expansão do limite individual, oferecendo uma gratificação gerada pelo esforço coletivo. A organização com mais de 350 staffs também precisa de muita força de vontade, persistência, determinação, disciplina, liderança, entre outros valores, para garantir aos participantes uma experiência de vida, afinal, "mais do que uma competição, Brasil Ride é uma etapa da sua vida”, comenta Mário Roma.

Roberto Recinella, especialista em desenvolvimento humano e motivação, possui MBA pela FGV – Fundação Getúlio Vargas e Ohio University em “Gestão de pessoas em ambiente de mudanças”. Idealizador da PHD – Pharmácia do Desenvolvimento Humano , a 1ª Farmácia Comportamental do Mundo. Eleito um dos 25 maiores nomes em motivação corporativa do Brasil, inicia a nossa conversa citando Voltaire: “Temos que aprender a ter coragem de reinventar a própria vida”.   “A coragem não é uma virtude”, dizia Voltaire, “mas uma qualidade comum aos celerados e aos grandes homens”.

“As piores situações podem ser superadas. Este pensamento otimista pode ser comprovado com o esforço e determinação de um triatleta amador, Paulo Eduardo Chieffi Aagaard, o Pauê. Nem o acidente que lhe tirou as duas pernas o fez desistir da paixão pelo esporte. A verdade é que ele corre atrás. E você, o que faria sem as pernas, um braço, cego, ou mesmo paralisado do pescoço para baixo? Desistiria ou recomeçaria uma nova vida? Quando por algum motivo você pensar em desistir, pense nas dificuldades que inúmeras pessoas passaram para alcançarem seus próprios sonhos e serem reconhecidas. Ao contrário do que imaginamos, todos passaram por privações e obstáculos até conseguirem vencer, raríssimas pessoas receberam tudo o que queriam em uma bandeja de ouro, apenas reis, rainhas e imperadores, mas os que porventura tenham recebido descobriram mais tarde em suas vidas que o preço é alto demais”, ressalta Recinella.

“Aprenda com pessoas que se superam todos os dias, que mesmo com partes de suas funções comprometidas ou complemente ausentes compensam isso com muita força de vontade e superação. Algumas pessoas fazem a diferença não apenas pela sua determinação, mas principalmente pela forma natural e despojada com que fazem isso, às vezes nem parecem se esforçar tanto ou sofrer, isso se chama determinação”, lembra-nos Recinella.

“A palavra mágica não é talento, mas perseverança. Por isso descubra seu talento bruto e depois vá lapidando com estudo, treinamento, praticando para atingir a excelência, pois tenha certeza que o referencial que os estimulava era seus próprios índices, como na filosofia Kaizen, o amanhã sempre melhor do que o hoje, melhoria constante. Nunca desista, enquanto você tiver forças aprenda, ensine e continue a sonhar. É esse sentimento aliado a muita força de vontade que faz pessoas diferentes se tornarem especiais”, finaliza Recinella.

BRASIL RIDE: UM EXEMPLO DE ORGANIZAÇÃO

“Escolhi participar da Brasil Ride pela excelente referência de sua organização. A prova tem uma infraestrutura fantástica com toda a logística para dormirmos, comermos, tomar banho e ainda é itinerante. Tive a oportunidade de falar com o Mário Roma por e-mail, e ele ficou muito feliz com minha participação e escolha e se colocou a disposição para me ajudar no que fosse preciso”, comenta Alessandro.

“A organização da Brasil Ride acontece com muitos meses de antecedência da largada, em que todos os detalhes são pensados e repensados para que os participantes desfrutem de uma experiência única, de preferência, superando as expectativas. Procuramos dar auxílio individual para todos os participantes, um cuidado que vai desde a inscrição até o último participante de cada etapa. Tratamos todos os atletas de forma igualitária, por exemplo, fazendo festa na linha de chegada para o campeão e para a equipe que chegou horas depois, muitas vezes, que é muito mais emocionante pela superação de cada um. Evidente que pessoas com necessidades especiais demandam de um cuidado diferenciado, em que auxiliamos oferecendo todas as informações e assistência que está ao nosso alcance pré-evento, assim eles podem se preparar e desfrutar de um ambiente agradável e familiarizado, garantindo condições plenas de participação no evento”, ressalta Andréa Roma, responsável pela logística da competição.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados