REVISTA BICICLETA - Bike Fit - Introdução
THE POWER OF THE PRO
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

Bicicleta Sense a partir de R$ 2.765,00!
Revista Bicicleta - Edição 68

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Bike Fit

Bike Fit - Introdução

Revista Bicicleta por Carlos Menezes
40.257 visualizações
28/02/2015
Bike Fit - Introdução
Foto: Divulgação

Você sai para comprar uma roupa, e solicita à vendedora que lhe mostre uma marca ou modelo. Ela instantaneamente lhe pergunta: Que número você veste? Mas, dependendo da marca ou modelo, o mesmo número pode apresentar diferenças no comprimento ou largura. Você compra a calça, procura um alfaiate com o objetivo de ajustar a roupa nas exatas medidas do seu corpo. Esse trabalho artesanal permite que você se sinta bem mais confortável e elegante. De modo similar, o bike fitter é o “alfaiate da bicicleta”.

O primeiro passo para uma boa pedalada

O primeiro passo é a base de tudo. O que poucos sabem é que para cada pessoa existe um tamanho ideal de bike. Nos Estados Unidos e países da Europa, onde o ciclismo está incorporado à cultura e modo de vida da população, é muito comum as pessoas recorrerem ao Bike Fit para descobrirem quais são as medidas ideais de bicicleta antes de realizar a compra. No Brasil, o que mais percebemos são pais que compram bicicletas acima da numeração para seus filhos, pois acreditam que quando eles crescerem a bike ficará no tamanho ideal. Essa preocupação com os gastos e despesas na aquisição da bike pode custar desconforto, e até causar a perda do prazer de pedalar.

É muito comum ver pessoas que têm vontade de adotar o ciclismo como prática diária, mas não de pedalar cerca de uma hora. Essas dores geralmente se apresentam em pelo menos um dos seguintes pontos anatômicos: glúteo, pernas, pés, mãos, coluna, pescoço, região lombar, entre outras. Essas dores estão em sua maioria relacionadas a um mau ajuste do ciclista à bike em pelo menos um dos seguintes fatores: tamanho do quadro, altura ou recuo do selim, avanço e altura do guidão. A combinação dessas medidas aos ângulos das articulações do ciclista é que vai determinar o perfeito ajuste da bike ao corpo do ciclista. Sempre que o corpo for obrigado a sair da sua posição natural para se ajustar, há desconforto e até lesão.

A princípio, o Bike Fit pode parecer algo simples ao ponto de acreditarmos que alguém que é experiente no pedal saiba ajustar bem uma bike. No Brasil existem vários mecânicos de bicicleta que fazem esses ajustes, mas a coisa não é tão simples assim. Um bom Fitter precisa ter boas noções de mecânica de bicicleta, anatomia e fisiologia humana, biomecânica, biometria e cinesiologia, entre outras áreas do conhecimento. Afinal são muitas variáveis e uma pequena mudança de 3 mm na altura do selim pode acarretar uma alteração de meio centímetro no seu recuo, e até 1 cm na altura da mesa dependendo da antropometria do atleta.

Assim, Bike Fit é uma ciência que não tem uma receita pronta. Cada caso é um caso. E o uso de ferramentas adequadas é fundamental para uma boa avaliação e ajuste, da mesma maneira que um médico precisa de um bom laboratório de análises clínicas para efetuar um perfeito diagnóstico da doença.

Resumidamente, o ciclismo é um esporte no qual o atleta se conecta a bicicleta em três pontos: guidão (mãos), selim (glúteo), pedais (pés). Um ajuste perfeito entre esses três pontos é crucial para permitir as variações corretas de comprimentos e ângulos.

O interessante é que as pessoas e atletas estão dispostos a pagar fortunas em selins de gel, componentes de carbono, rodas com rolamentos selados, marcas famosas, mas poucos se preocupam em estar bem posicionados sobre a bike. Consideram isso um fator secundário, quando deveria ser o ponto de partida para a prática do ciclismo.

O primeiro passo para quem quer começar a pedalar deveria ser realizar um Bike Fit, e depois, de posse das medidas de cada componente, sair em busca da bike ideal. Somente assim ela conseguirá obter um produto que lhe proporcione real satisfação.

Melhora o rendimento 14%=17 minutos Corrida 2 horas

Mas, falando assim, pode parecer que o Bike Fit é importante somente no momento da compra da bicicleta. Isso não é verdade. Por se tratar de um esporte altamente aeróbico, a pessoa perde peso muito rápido e com isso sua flexibilidade aumenta. Vamos entender isso melhor. Uma pessoa com sobrepeso, apresenta uma proeminência abdominal (barriga) e não consegue se curvar muito sobre a bike, mas à medida que vai emagrecendo e perdendo a barriga, consegue inclinar mais seu tronco diminuindo o ângulo em relação ao solo, adotando uma posição mais aerodinâmica. Com isso talvez seja necessário mudar a altura e/ou avanço do guidão ou até mesmo a altura do selim.

Pensando por esse lado, atletas de alta performance estão sempre a procura de ajustes perfeitos para cada mudança física e fisiológica, uma vez que um bom Bike Fit pode melhorar o rendimento em até 14%.

Isso a princípio pode parecer pouco, mas quando se pensa em uma corrida de duas horas significa um ganho de quase 17 minutos. Imagine então para cicloturistas que passam um dia todo pedalando durante vários dias seguidos.

Algumas coisas são custos, outras, investimentos. Comece pelo princípio: faça um bom Bike Fit. Depois, uma boa aquisição e boas pedaladas.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados